F.E. A Doutrina de Jesus Cristo.

--------------------------------------
OLÁ, SEJA BEM VINDO AO FÓRUM EVANGELHO.

CASO DESEJE PARTICIPAR DE DEBATES FAÇA SEU REGISTRO.

ESTE FÓRUM É ABERTO A PESSOAS DE TODOS OS CREDOS.

SE PREFERIR SER APENAS UM LEITOR, ACOMPANHE AS POSTAGENS.

"Conheçamos e prossigamos em conhecer a YHVH ( י ה ו ה )..." (Oséias 6.3)

Norberto
Administrador do Fórum Evangelho

Fórum evangélico, aberto à participação de pessoas de qualquer credo ou religião.


  • Novo Tópico
  • Responder ao tópico

Igreja Universal é acusada de 'roubar' crianças em Portugal

Compartilhe
avatar
Tzaruch
- Áqüila / Priscila -
- Áqüila / Priscila -

Status : Na Paz.
Sexo : Masculino
Número de Mensagens : 5749
Idade : 45
Cidade/Estado : Ilha
Religião : DEUS
Igreja : As 7 Igrejas
País : Na Terra.
Mensagens Curtidas : 126
Pontos de participação : 12338
Data de inscrição : 04/11/2014

Igreja Universal é acusada de 'roubar' crianças em Portugal

Mensagem por Tzaruch em Seg 11 Dez 2017, 23:36

.
Noticia divulgada no Brasil e mais em baixo a mesma divulgada em Portugal,
cada qual faz-se presente do respectivo link para confirmação.


.
https://www.noticiasaominuto.com.br/mundo/488192/igreja-universal-e-acusada-de-roubar-criancas-em-portugal

Igreja Universal é acusada de 'roubar' crianças em Portugal

Crianças teriam sido tomadas de famílias pobres e adotadas de forma suspeita por bispos da Igreja.


Duas delas estariam com a filha de Edir Macedo, líder da IURD

 

O bispo Edir Macedo, líder da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) e proprietário do Grupo Record de Comunicação,
é alvo de uma grave denúncia veiculada pela emissora portuguesa TVI.

Nesta segunda-feira (11), o Jornal da Noite exibiu reportagem na qual duas entrevistadas denunciam o bispo por "roubar" crianças
de famílias pobres de Portugal para serem adotadas, de formas suspeita, por bispos e pastores da IURD no Brasil.

Duas delas, Vera e Luis, teriam sido adotadas pela própria filha de Macedo, Viviane Freitas, e levadas paras os Estados Unidos.

A reportagem trouxe o caso à tona através do depoimento da suposta mãe das crianças, que teve a imagem borrada enquanto contava a história.

Segundo a versão da mulher, diante das dificuldades para criar os filhos ela foi obrigada por uma assistente social a deixar três crianças -
Vera, na época com 3 anos e meio; Luis, de 2 anos e Fábio, de 9 meses - em uma instituição. Na altura, ela morava em uma casa vizinha
à Igreja Universal do Reino de Deus da Amadora (Grande Lisboa).

"Prometeram me ajudar e tiraram os meus filhos", disse a mulher, que só teria conseguido rever as crianças uma vez,
um mês depois de tê-las deixado no que acreditava ser uma creche. A partir dali, só teria visto os filhos por fotografia, 20 anos depois.

A mulher que se apresenta como mãe das crianças, hoje maiores de idade, disse que a assistente social entrou em contato com
ela na época da adoção após uma denúncia anônima feita ao Conselho Tutelar português. Ela teria sido denunciada por deixar
as crianças sozinhas em casa quando saía para trabalhar.

Este teria sido o primeiro passo para as crianças serem retiradas da mãe e colocadas no lar, supostamente administrado pela IURD.

"Eles prometerem que quando as coisas entrassem nos eixos eu voltaria a ver as crianças nos finais de semana.
Eu acreditei que iriam ajudar, mas a única coisa que fizeram foi destruir a minha vida e a deles, pelo visto", disse à reportagem
Identificada apenas como "Ana", uma babá que se apresenta como ex-funcionária da instituição disse ter cuidado das crianças.

Ela ainda declarou que os "lindos irmãos "chamaram logo a atenção do Bispo Edir Macedo, destacando que dois deles, Vera e Luís,
foram escolhidos pelo líder para a filha deles, Viviane Freitas.

Não foi revelada na matéria por quem Fábio foi adotado.

"Sei onde eles estão, quem os levou e não fazia ideia sequer de nada.
Como devem saber, não me deixavam vê-los", disse a suposta cuidadora,
também em imagem borrada, segurando fotografias das crianças.

Outros casos
O caso apresentado pela reportagem seria apenas um entre muitos de crianças retiradas das mães biológicas,
acolhidas pela instituição e em seguida adotadas por bispos e pastores de fora de Portugal.

O lar de crianças teria sido criado em 23 de maio de 1994 pela IURD, mas só foi licenciado em 2001; ou seja,
teria funcionado ilegalmente durante sete anos, sem qualquer fiscalização da Segurança Social, órgão competente em Portugal.

As crianças teriam sido adotadas após ordem de Edir Macedo.

Segundo declarações de um ex-bispo da IURD, Alfredo Paulo, o líder teria determinado que todos os pastores
e bispos da Igreja deveriam fazer vasectomia antes mesmo de se casarem.

Depois, Macedo teria voltado atrás e determinado que os líderes da Igreja adotassem crianças.

Assim, a determinação teria sido seguida pelas próprias filhas de Edir Macedo, Viviane e Cristina, e pelos seus maridos,
bispos supostamente submetidos à cirurgia.

Mais detalhes sobre o caso devem ser esclarecidos nas próximas reportagens da série da TVI.

'Campanha difamatória'
A Igreja Universal enviou uma nota, na qual disse que as reportagens não passam de "uma campanha difamatória, mentirosa".
"Não podemos tolerar", declarou. Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, os responsáveis da IURD disse que as informações
reveladas pela TVI estão baseadas em depoimentos de um ex-pastor que se afastou da igreja no Brasil por "condutas impróprias".

Ele deixou de colaborar com a igreja em 2013, "por acordo voluntário das partes".

"Os seus membros, em Portugal e fora do país europeu, apresentarão inúmeras ações contra TVI em Portugal e no exterior", lê-se ainda na nota.

Ainda, que as adoções em Portugal "foram decretadas pelo Tribunal de Família e Menores de Lisboa (capital portuguesa)",
completando que "as crianças foram encaminhadas pela Segurança Social e pela Santa Casa de Misericórdia de Lisboa para um lar -
que evidentemente à época não era ilegal -, e vários pais adotivos se candidataram a adotá-las".

"Contam-se pelos dedos de uma mão as crianças que foram adotadas por essa via -
com decisão judicial, sublinhe-se - por casais ligados à Universal."





Versão Portuguesa.
.
https://www.noticiasaominuto.com/pais/914892/seguranca-social-participou-ao-mp-alegada-rede-de-adocoes-ilegais
.
A Segurança Social fez na quarta-feira uma participação ao Ministério Público
sobre a alegada rede de adoções ilegais de crianças, ligada à Igreja Universal
do Reino de Deus e denunciada pela TVI, disse à Lusa fonte do instituto.

  

No âmbito da investigação da TVI relativa à 'Casa de Acolhimento Mão Amiga', integrada na Obra Social da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD),
outrora designada por "Associação Beneficente Cristã", o Instituto da Segurança Social, "tomando conhecimento dos factos descritos, apresentou,
no dia 06/12/2017, uma participação ao Ministério Público/Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa, entidade competente nesta matéria",
refere numa resposta enviada à agência Lusa.

O Instituto da Segurança Social (ISS) concluiu que a casa de acolhimento,
"não estando licenciada, encontrava-se em incumprimento do disposto legal aplicável à altura".

A Segurança Social adianta que "o rigor e a precisão" introduzidos pela Lei de Proteção de Crianças e Jovens em Perigo a partir de 2001,
e pelo regime jurídico da adoção em 2003, conferiram uma nova configuração ao sistema de proteção de crianças e jovens.

"Desde essa data e até à atualidade deixou de ser possível que qualquer criança seja acolhida sem medida
de promoção e proteção aplicada por tribunal ou CPCJ", sublinha o ISS.

A legislação também introduziu no funcionamento das casas de acolhimento a obrigatoriedade da existência de acordo de cooperação com o Estado,
para assegurar uma gestão centralizada de vagas pela Segurança Social e o exercício da função reguladora pelo Estado, da qualidade dos cuidados prestados.

Ao nível da adoção, acrescenta, "foram várias as melhorias introduzidas, no controle e rigor dos procedimentos que estes processos merecem,
traduzidas na existência de listas nacionais de adoção, definição de procedimentos uniformes entre os Organismos de Segurança Social e também,
mais recentemente, a constituição do Conselho Nacional de Adoção, que colegialmente, com a presença de todos os Organismos de Segurança Social,
garante a uniformização da intervenção em todo o tecido nacional".

Uma investigação da TVI revela que Edir Macedo, líder máximo da IURD, está envolvido numa rede internacional de adoções ilegais de crianças
e que os seus próprios "netos" são crianças roubadas de um lar em Portugal.

Segundo a reportagem 'O Segredo dos Deuses', que começa hoje a ser transmitida na TVI, a Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) tinha,
na década de 90, um lar ilegal de crianças, em Lisboa, de onde foram levados vários menores, à revelia das suas mães.

As crianças eram entregues diretamente no lar, à margem dos tribunais, por famílias em dificuldades e acabavam no estrangeiro,
adotadas por bispos e pastores da igreja de forma irregular e sem direito de contraditório às famílias, adianta a investigação
das jornalistas Alexandra Borges e Judite França.

A TVI descobriu que Edir Macedo "está envolvido nesta rede internacional de adoções ilegais de crianças,
e que os seus próprios 'netos' são crianças roubadas do Lar Universal, uma instituição que à época fazia parte da obra social da igreja".

Segundo um comunicado da TVI relativo à investigação, "um importante membro desta rede chegou mesmo a roubar um recém-nascido
à mãe na maternidade e registá-lo diretamente como seu filho biológico".


-----------------------------
avatar
Norberto
ADMINISTRADOR
ADMINISTRADOR

Status : "Conheçamos e prossigamos em conhecer a YHVH ( י ה ו ה )" (Oséias 6.3)
Sexo : Masculino
Número de Mensagens : 4344
Cidade/Estado : .
Religião : .
Igreja : .
País : .
Mensagens Curtidas : 155
Pontos de participação : 17454
Data de inscrição : 17/11/2008

Re: Igreja Universal é acusada de 'roubar' crianças em Portugal

Mensagem por Norberto em Ter 16 Jan 2018, 12:39

.
Universal processa TV portuguesa por “promoção de ódio religioso”


Igreja entra na Justiça contra TVI, alegando que reportagens são mentirosas

A série de reportagens do canal TVI de Portugal sobre uma suposta rede de adoções ilegais comandada pelos bispos e pastores da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) naquele país gerou uma grande polêmica. Com o nome de “O Segredo dos Deuses”, as dez matérias que foram ao ar em dezembro mostraram como crianças portuguesas eram adotadas por famílias em vários países, inclusive no Brasil.

Entre os casos estariam Louis Carlos de Andrade e Vera de Andrade, filhos adotivos de Viviane Freitas, filha de Edir Macedo. Os netos do bispo vivem há muitos anos nos Estados Unidos. Eles desmentiram a TV portuguesa e exigiram “direito de resposta”, que não lhes foi dado.

Agora, a Universal anuncia que está acionando na Justiça a TVI, que segundo eles é “uma emissora criada por grupos ligados à Igreja Católica”. O site da igreja diz que o “ataque sórdido” da TVI tinha “a intenção de atingir a honra do Bispo Edir Macedo e do corpo eclesiástico da Igreja Universal do Reino de Deus, promovendo o ódio religioso contra mais de 9 milhões de adeptos da Universal em todo o mundo”.

A liderança da Igreja Universal explica que está tomando “todas as medidas judiciais – nas esferas cível e criminal – a fim de que a Justiça venha dar a devida punição por essas imputações falsas, criminosas que desabonam a honra dos citados”.

Com conhecimento de causa, já que controla a Rede Record no Brasil, a Universal classificou o material veiculado pela TVI de “um sensacionalismo sem precedentes” e uma “aberração que nada tem de jornalismo”. Entre as acusações da igreja estão “Manipulação de entrevistas, mentiras, ocultação de provas e exploração de mães fragilizadas e atormentadas” por parte do canal de televisão português.

Em nota publicada em seu site oficial, a Universal explica ser “mentira de que os pais não foram legalmente citados no processo judicial de adoção, quando consta nos autos que eles estavam, sim, informados”. Diz ainda que as jornalistas da TVI “esconderam dos telespectadores que enquanto as crianças viveram com os pais biológicos, estavam desnutridas, doentes e moravam em uma casa sem móveis, suja, sem eletricidade e inabitável”.

A igreja assegura que todas as crianças que saíram de Portugal tinham autorização judicial e que agiu dentro da lei, conforme atestam “os documentos dos processos judiciais que tramitaram no Tribunal de Família e Menores de Lisboa”.

Fonte: GospelPrime

.
  • Novo Tópico
  • Responder ao tópico

Data/hora atual: Ter 17 Jul 2018, 18:02