F.E. A Doutrina de Jesus Cristo.

--------------------------------------
OLÁ, SEJA BEM VINDO AO FÓRUM EVANGELHO.

CASO DESEJE PARTICIPAR DE DEBATES FAÇA SEU REGISTRO.

ESTE FÓRUM É ABERTO A PESSOAS DE TODOS OS CREDOS.

SE PREFERIR SER APENAS UM LEITOR, ACOMPANHE AS POSTAGENS.

"Conheçamos e prossigamos em conhecer a YHVH ( י ה ו ה )..." (Oséias 6.3)

Norberto
Administrador do Fórum Evangelho

Fórum evangélico, aberto à participação de pessoas de qualquer credo ou religião.


Trindade, Unicismo ou Unitarismo - se eu erradamente crer em um, afeta minha salvação?

Compartilhe

Valdomiro
ADMINISTRADOR (auxiliar)
ADMINISTRADOR (auxiliar)

Número de Mensagens : 1293
Data de inscrição : 25/11/2008

Re: Trindade, Unicismo ou Unitarismo - se eu erradamente crer em um, afeta minha salvação?

Mensagem por Valdomiro em Seg 20 Jul 2009, 15:48

Caro irmão Pereira,

Você disse: "Bem até hoje encontramos fóruns de discussão sobre este assunto. Não deixa de ser um indício que algo esteja revelado ou velado sobre este assunto." Sinceramente irmão não creio assim. Esses debates sobre alguma pluralidade de pessoas em Elohim não existiu em nenhum período bíblico e apostólico porque nenhum deles, que estavam bem perto da fonte, tinha notícias ou entendimentos que devêssemos compreender assim essa palavra. Existe hoje porque, em busca da legitimação da pluralidade de pessoas em Deus, a idéia se popularizou entre os cristãos posteriores. Essa história de pluralidade em Elohim, nem mesmo foi tratado na época dos primeiros concílios. Em nenhuma das três questões levantadas no início do cristianismo seja unicismo modalista (ofícios), unitarismo ou trinitarismo se ventilou que Elohim representava isso que hoje afirmam dessa palavra.

Quanto ao paganismo trino e a trindade, não toquei no assunto ainda.

Com relação a "Elohim" e o sentido plural, parece que o irmão ignora o fato bíblico que se "deuses", "homens" e "anjos" não são, cada um individualmente, entes compostos por outros entes ou mesmo expressões plurais (ofícios) do mesmo ente ou ser com a mesma designação, decorrente de palavras plurais aplicadas a eles, atesta que o uso do plural dentro da Bíblia é indicado para seres singulares e não manifestações do mesmo ser. Parece ter ignorado também que dentro da Bíblia mesmo um único ente pode usar o verbo no plural em, pelo menos, duas ocasiões: Falando com alguém que esteja próximo, ou usando o chamado plural majestático. Os versículos já foram citados, se houver necessidade repetiremos.

Como já observamos quando Deus disse “façamos”, não era porque ele fosse um Deus plural. Dentro da Bíblia, não somente há indícios mas também a comprovação de que ELE estava acompanhado, mas que SEU Filho foi quem executou SUA obra. Dois seres distintos e não co-iguais. Ao dizer "desçamos" e "confundamos" o próprio Elohim não desceu, esvaziando o seu trono para vir a terra a fim de confundir a língua dos homens, mas enviou seus agentes ou simplesmente ordenou majestaticamente o acontecimento.

Lembremos que as verdades ocultas que precisamos saber acerca de Deus foram reveladas por Jesus.

Não se nega que a palavra Elohim seja plural. Todos sabemos que ela é plural de Eloah. O que se afirma é que Elohim não denota, nem conota que essa palavra abarque alguma pluralidade de pessoas para quem ela é aplicada, conforme atesta seus usos já citados anteriormente.

Quanto à Elion você antes tinha dito: “Exemplo claro é o título ALTÍSSIMO que na Bíblia aparece no plural quando refere-se ao ULHIM Eterno Criador” Na verdade só aparece no plural na expressão “Santos do Altíssimo” encontrada em Daniel no capítulo 7, todo o restante, me corrija se eu estiver errado, é singular. E o uso da palavra “altíssimo” como mostrei é aplicado até a VASOS e nomes de CIDADES além de CASAS como em I Rs. 9.8. Esse sentido “oculto” requerido atualmente não é a Bíblia quem o dá amado irmão!!!

Você disse: “Com isso estamos afirmando que tanto o Filho quanto o Pai são ULHIM”, mas a Bíblia diz diferente em Ef. 3.9 “E demonstrar a todos qual seja a dispensação do mistério, que desde os séculos esteve oculto em Deus, que tudo criou por meio de Jesus Cristo” Perceba que Deus (Ulhim) criou as coisas, não através de “Ulhim”, mas por meio de seu Filho Jesus Cristo. A própria Escritura é quem faz distinção daquilo que você está dizendo ser a mesma coisa. Deus é um, seu Filho não é o mesmo que Deus é.

Dt. 6.4 “Ouve, Israel, Yahweh nosso Deus, Yahweh é UM”. A declaração de fé do monoteísmo bíblico afirma que Deus é UM. não mais, não menos.

Zc. 14.9 “E Yahweh será rei sobre toda a terra; naquele dia UM será Yahweh, e UM será o seu nome.” Yahweh continuará sendo reconhecido como UM, não mais não menos;

Mt. 23: 9 “E a ninguém na terra chameis vosso pai, porque UM SÓ é o vosso Pai, o qual está nos céus.” UM SÓ, não mais, não menos.

Mc. 12:32 “E o escriba lhe disse: Muito bem, Mestre, e com verdade disseste que há UM SÓ Deus, e que não há outro além dele;” Você disse: “cada um dos seres ULHIMICOS, possuem papeis distintos, pessoais,” A Bíblia apresenta de forma muito clara que NÃO HÁ isso de seres “Ulhimicos”, mas UM SÓ ULHIM (um só Deus).

Jo. 17.3 Orando ao Pai, Jesus disse: “E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, como o ÚNICO Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, aquele que tu enviaste.” O próprio Jesus, através de quem foram criadas todas as coisas diz que só o Pai, é o ÚNICO ULHIM e ele contrasta essa verdade com sua própria existência ao dizer “e a Jesus Cristo” a quem o ÚNICO ULHIM enviou para terra.

Rm. 3.30 “Visto que Deus é UM SÓ, que justifica pela fé a circuncisão, e por meio da fé a incircuncisão” Mais uma vez o testemunho da Escritura é claro ULHIM É UM SÓ, não dois ou três.

Rm. 16.27 “ao ÚNICO Deus sábio seja dada glória por Jesus Cristo para todo o sempre. Amém.” O próprio entendimento dos personagens bíblicos, que por sinal conheciam muito bem o hebraico como o apóstolo Paulo afirma de forma contrastante que devemos glória ao ÚNICO ULHIM por meio de seu Filho e não que o Filho seja um ULHIM conjuntamente com o seu Pai.

I Co. 8. 4 “Assim que, quanto ao comer das coisas sacrificadas aos ídolos, sabemos que o ídolo nada é no mundo, e que não há outro Deus, senão UM SÓ.” Há um só, não mais, não menos!

I Co. 8.6 “Todavia para nós há UM SÓ Deus, o Pai, de quem é tudo e para quem nós vivemos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual são todas as coisas, e nós por ele.” Quem é esse UM SÓ ULHIM? O Pai e o Filho, ou só o Pai segundo o versículo?

Gl 3.20 “Ora, o medianeiro não o é de um só, mas Deus é UM.” Perceba o contexto que se contrasta que o medianeiro não é de um mais de muitos, ou seja mais de um. Vários precisam ser mediados, mas em contraste com os mais de um que precisam ser mediados a Bíblia indica que na outra ponta não estão dois ou três, mas UM que é Deus (Ulhim).

Outros versículos que seguem apenas corroborando essa verdade:

Ef. 4.6 “UM SÓ Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em todos vós.

I Tm. 1.17 “Ora, ao Rei dos séculos, imortal, invisível, ao ÚNICO Deus, seja honra e glória para todo o sempre. Amém.

I Tm 2.5 “Porque há UM SÓ Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem.

Tg. 2.19 “Tu crês que há UM SÓ Deus; fazes bem. Também os demônios o crêem, e estremecem.

Jd 1.25 “ao ÚNICO Deus, nosso Salvador, por Jesus Cristo nosso Senhor, glória, majestade, domínio e poder, antes de todos os séculos, e agora, e para todo o sempre. Amém.

Tg. 2.19 “Tu crês que há UM SÓ Deus; fazes bem. Também os demônios o crêem, e estremecem.

Jd 1.25 “ao ÚNICO Deus, nosso Salvador, por Jesus Cristo nosso Senhor, glória, majestade, domínio e poder, antes de todos os séculos, e agora, e para todo o sempre. Amém.

Espero irmão que sua sensibilidade o permita ver que não é com poucos versículos que a Bíblia diz que Deus é UM, ÚNICO e UM SÓ. Ao passo que nossos irmãos do período pós-bíblico e pós-apostólico diz que ULHIM são o Pai, o Filho e Espírito Santo em uma composição “ULHIMICA”, a Bíblia explicitamente diz que não é esse o ensino positivo e afirmativo das Escrituras. Se lá no “façamos”, “desçamos” e “nós” havia alguma verdade oculta a ser descoberta, então está ai amado irmão. A verdade é que aqueles plurais não representavam, segundo a própria Bíblia, seres “ULHIMICOS” em hipótese alguma.

Shalom!
Valdomiro.

Pereira
- Áqüila / Priscila -
- Áqüila / Priscila -

Número de Mensagens : 1100
Data de inscrição : 18/04/2009

Re: Trindade, Unicismo ou Unitarismo - se eu erradamente crer em um, afeta minha salvação?

Mensagem por Pereira em Seg 20 Jul 2009, 20:30

Amado Edison,

O amado diz: “Mostre na Bíblia qual é o nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, já que são pessoas distintas uma da outra.”

Amado, já foi chamado a atenção varias vezes sobre este assunto.

Olha amado, o que estamos realmente falando é que a Bíblia descreve O pai, o Filho e o Enviado como pessoas distintas.

Por exemplo a questão nomes: A bíblia pergunta se sabemos o nome do Pai e o Nome do Filho.

Provérbios 30: 4 Quem subiu ao céu e desceu? quem encerrou os ventos nos seus punhos? mas amarrou as águas no seu manto? quem estabeleceu todas as extremidades da terra? qual é o seu nome, e qual é o nome de seu filho? Certamente o sabes!

As pessoas ULHIMICAS aparecem ao mesmo tempo em lugares diferentes.

Repare Yaohushua aqui na terra e o Pai nos Céus.

ManYaohu 18: 19 Ainda vos digo mais: Se dois de vós na terra concordarem acerca de qualquer coisa que pedirem, isso lhes será feito por meu Pai, que está nos Shua-olmayao.

Observe Yaohushua ao lado do Pai.

Atos 7: 56 e disse: Eis que vejo os Shua-olmayao abertos, e o Filho do homem em pé à direita de ULHIM.

Observe Yaohushua aqui na terra e o Rukha nos céus.

Yaohuhana 16: 7-15 ToDauda, digo-vos a verdade, convém-vos que eu vá; pois se eu não for, o Ajudador não virá a vós; mas, se eu for, vo-lo enviarei.

As pessoas ULHIMICAS possuem sentimentos e vontades distintos.

Observe a vontade do Filho e a Vontade do Pai em clara distinção.

Man-YÁOHU 26: 39Avançou um pouco e, deitando-se de rosto em terra, orou: "Meu YÁOHU ABí, se é possível, que este cálice seja afastado de mim. Contudo, seja feita a tua vontade e não a minha."

Observe o relacionamento com o Pai, o Filho sendo diferenciado do relacionamento com o Rúkha ULHIM.

Man-YÁOHU 12:32Até o dizer mal de mim, ou mesmo qualquer outro pecado, pode ser perdoado, menos um: falar contra o RÚKHA hol-HODSHÚA; isso jamais terá perdão, seja neste mundo seja no mundo futuro.

Entende amado, é muito mais que uma questão de Nomes. Não que a verdade sobre os nomes não seja séria, pois há maldições bíblicas para quem não honra o Nome que pode salvar.
Malaquias 2: 2 Se não ouvirdes, e se não propuserdes no vosso coração dar honra ao meu nome, diz Í-ÁO-RRU dos exércitos, enviarei a maldição contra vós, e amaldiçoarei as vossas bênçãos; e já as tenho amaldiçoado, porque não aplicais a isso o vosso coração.

Mas este é assunto para outro tópico.

Shalom.

Jefté
- Áqüila / Priscila -
- Áqüila / Priscila -

Status : no perfil, defina seu status ou deixe em branco.
Sexo : Masculino
Número de Mensagens : 1683
Idade : 54
Cidade/Estado : Florianópolis - Santa Catarina
Religião : Cristão
Igreja : Não tenho
País : Brasil
Mensagens Curtidas : 37
Pontos de participação : 4048
Data de inscrição : 27/12/2008

Re: Trindade, Unicismo ou Unitarismo - se eu erradamente crer em um, afeta minha salvação?

Mensagem por Jefté em Sex 24 Jul 2009, 20:13

.
Valdomiro

Gostaria de fazer-lhe uma pergunta:
Em Mateus 28:19 diz: "Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo."

Ora, Jesus apresentou o Pai, o Filho e o Espírito Santo. (Mat. 28:19)
Jesus também diz que Ele e o Pai são um. (Jo. 10:30)
Jesus disse que Ele e o Pai habitaria em nós. (Jo. 14:23)
E que também nos daria outro Consolador, o Espírito Santo p/ habitar em nós. (Jo. 14:26)

E qual é o problema na Comma Joanina se ela diz: Porque três são os que testificam no céu, o Pai, a Palavra e o Espírito Santo, e esses três são um?
Visto que o próprio Senhor já disse que Ele e o Pai são um!
E que o Espírito Santo também habitaria em nós (sendo portanto o Pai, a Palavra e o Espírito Santo)?

Ora, isso mostra que os três existem, e que são um, e que estão em nós, como não estaria também no céu? Como afirma a Comma Joanina??

avatar
Valdomiro
ADMINISTRADOR (auxiliar)
ADMINISTRADOR (auxiliar)

Status : no perfil, defina seu status ou deixe em branco.
Sexo : Masculino
Número de Mensagens : 1293
Idade : 48
Cidade/Estado : Recife/PE
Religião : Protestante
Igreja : Assembléia de Deus
País : Brasil
Mensagens Curtidas : 228
Pontos de participação : 3112
Data de inscrição : 25/11/2008

Re: Trindade, Unicismo ou Unitarismo - se eu erradamente crer em um, afeta minha salvação?

Mensagem por Valdomiro em Sex 24 Jul 2009, 21:05

.
Jafté,

Tudo em Paz?!

Aproveito para te perguntar como você concebe a questão? Deus é um e três; apenas um e único ou um que se apresenta de três modos?

Aguardo-te.

Fique com Deus!
Valdomiro
.
avatar
Norberto
ADMINISTRADOR
ADMINISTRADOR

Status : "Conheçamos e prossigamos em conhecer a YHVH ( י ה ו ה )" (Oséias 6.3)
Sexo : Masculino
Número de Mensagens : 4296
Cidade/Estado : .
Religião : .
Igreja : .
País : .
Mensagens Curtidas : 154
Pontos de participação : 17341
Data de inscrição : 17/11/2008

Re: Trindade, Unicismo ou Unitarismo - se eu erradamente crer em um, afeta minha salvação?

Mensagem por Norberto em Dom 26 Jul 2009, 20:10

.
Prezados participantes e leitores,

Recomendação para posseguimento do tópico:

A questão dos nomes levantados neste tópico deve ficar somente relacionados e limitados à Trindade, sem que se busque provar que eles sejam os nomes corretos ou não, ou seja, se Yaohu, Yahweh ou Jeová e seus correlados como Yeshua, Jesus etc.

Administrador

.
avatar
Pereira
- Áqüila / Priscila -
- Áqüila / Priscila -

Status : no perfil, defina seu status ou deixe em branco.
Sexo : Masculino
Número de Mensagens : 1100
Idade : 55
Cidade/Estado : Japeri/Rio de Janeiro
Religião : Evangelico
Igreja : Nao tenho
País : Brasil
Mensagens Curtidas : 2
Pontos de participação : 3856
Data de inscrição : 18/04/2009

Re: Trindade, Unicismo ou Unitarismo - se eu erradamente crer em um, afeta minha salvação?

Mensagem por Pereira em Seg 27 Jul 2009, 13:55

Amado Valdomiro vamos dar continuidade ao assunto,


“Que a graça, a misericórdia e a paz de YÁOHU UL e ABí e de hol-MEHUSHKHÁY YAOHÚSHUA nosso Molkhiúl continue se manifestando na tua vida.”

O amado cita “Você disse: "Bem até hoje encontramos fóruns de discussão sobre este assunto... " Sinceramente irmão não creio assim. Esses debates sobre alguma pluralidade de pessoas em Elohim não existiu em nenhum período bíblico ....”

Amado, O Novo Testamento torna explicito o que dantes estava implícito no Antigo testamento. A Unidade de YAOHU não é absoluta, mas composta. Muitos conceitos bíblicos vieram a ser revelados à seu tempo. Por exemplo: o advento do Messias. Não foi esperado pelos antigos como hoje entendemos e vivemos de alguma forma muitos até hoje se opõe a este pensamento. Entretanto, não é porque os antigos não entendiam dessa forma e alguns até mesmo nos dias atuais se opunham a essa verdade revelada que devamos deixar de entender como hoje entendemos.

O amado diz: “Existe hoje porque, em busca da legitimação da pluralidade de pessoas em Deus, a idéia se popularizou entre os cristãos posteriores.”

Não amado existe hoje por que alguns precisam eliminar essa evidência bíblica para fazer valer de seus conceitos. PLURAL é PLURAL nada mais, a proveu ULHIM valer-se destes termos Para revelar-se a si mesmo. São registros inspirados que atestam essa pluralidade. Por exemplo: por que nos registro de Gênesis não foi utilizados o termo singular “ELOHA”? Simplesmente porque sabemos que na criação do homem a trindade está presente.

Gênesis 1:26. – “E disse ULHIM: Façamos o homem a nossa imagem, conforme a nossa semelhança...”

As Três pessoas ULHIMICAS estão presentes aqui. Sabemos que foi o Filho ELOHA quem criou todas as coisas e também o homem.

Em Gênesis 3:22 lemos: “Então disse Yaohu ULHIM: Eis que o homem é como um de nós, sabendo o bem e o mal...” No entendimento Unicista este termo “um de nós” não tem sentido, é um erro.

Isaias 6:8 “A quem enviarei e quem há de ir por nós?” Novamente a pluralidade na unidade Ulhimica está presente


Pode ser observado em qualquer texto hebraico que ULHIM INSPIROU, todos os verbos, adjetivos e pronomes no plural, e estão igualmente concordando com o plural ULHIM.

Portanto amado, é inequívoco que o vocábulo hebraico ULHIM – Supremo ou Potências Criadoras, com mais de 2000 incidências no conteúdo no Antigo Testamento, é um substantivo, personativo, masculino, plural que identifica de forma clara e cristalina a ação de uma pluralidade ULHIMICA. O pai, O Filho e o Rúkha atuando em favor do ser humano.

O amado diz: “Como já observamos quando Deus disse “façamos”, não era porque ele fosse um Deus plural. Dentro da Bíblia, não somente há indícios mas também a comprovação de que ELE estava acompanhado, mas que SEU Filho foi quem executou SUA obra. Dois seres distintos e não co-iguais.”

Sim amado o YAOHU UL ou (Elohá) estava acompanhando de seu Filho Yaohushua também UL ou (Elohá) este é um fato Bíblico. Sim são dois seres distintos porém cada um é UL, por isso a bíblia utiliza-se do termo ULHIM no plural. Com certeza também não são co-iguais por que a Bíblia faz questão de afirmar as diferenças entre eles, e confirma a verdadeira comunhão que existe entre ambos que os torna UM. Ou seja, cada um é ÚNICO em pessoa porém são UM em perfeita UNIDADE.


O amado diz: “Lembremos que as verdades ocultas que precisamos saber acerca de Deus foram reveladas por Jesus.”

Sim amado o Messias trouxe luz as verdades já de antemão declaradas no Antigo Testamento. E Uma das verdades claras e cristalinas ensinadas por Yaohushua é que Ele é UM com UL Yaohu o Pai. Ele é o Pai são UM. Estão em perfeita Unidade.

O amado diz: “Não se nega que a palavra Elohim seja plural. Todos sabemos que ela é plural de Eloah. O que se afirma é que Elohim não denota, nem conota que essa palavra abarque alguma pluralidade de pessoas para quem ela é aplicada, conforme atesta seus usos já citados anteriormente.”

Sim essas são as suas conclusões e até entendo por que o amado conclui dessa forma.

Infelizmente amado PLURAL e simplesmente PLURAL. E a verdades BÍBLICA final sobre este assunto, é que o Eterno Criador não INSPIROU “ELOAH” em Gênesis 1:1 e em todas as mais de 2000 referencias em que este termo “ULHIM” (PLURAL) é registrado nos registros sagrados.

Quanto ao termo ALTÍSSIMO, sim o termo aparece em Daniel bem como mais duas vezes nos salmos. O que com isto estamos afirmando é que assim como ULHIM no PLURAL outros termos aparecem também no Plural concordando com o pensamento bíblico no seu contexto geral no contexto deste assunto.

O amado diz:”Espero irmão que sua sensibilidade o permita ver que não é com poucos versículos que a Bíblia diz que Deus é UM, ÚNICO e UM SÓ.”

Amado, temos sim a sensibilidade e concordamos que cada uma das pessoas ULHIMICAS é UM, ÚNICO e UM SÓ.

Não poderia ser diferente essa conclusão se afirmamos que cada uma das pessoas ULHIMICAS são distintas em caráter, personalidade e por fim até possuem NOMES diferentes. Portanto amado a bíblia não deixa dúvidas quando revela:

O “Eloha” Yaohu (Pai) sendo UM, ÚNICO e UM SÓ

Zc. 14.9 “E Yahweh será rei sobre toda a terra; naquele dia UM será Yahweh, e UM será o seu nome.” Yahweh continuará sendo reconhecido como UM, não mais não menos;


O “Eloha” Yaohushua (Filho) sendo UM, ÚNICO e UM SÓ


Efésios 4:4-6 ... como também fostes chamados em uma só esperança da vossa vocação; em UM só Senh-r, ,,,.

O “Eloha” Rúkha (Enviado) sendo UM, ÚNICO e UM SÓ

Efésios 4:4-6 Há um só corpo e um só Rúkha, ....

Eles são TRÊS ELOHA e justamente por isso o termo “ULHIM” e estão em perfeita Unidade, que os torna UM. Por este mesmo motivo nossos amado irmãos do período pós-bíblico e pós-apostólico diz que ULHIM são o Pai, o Filho e Espírito Santo em uma composição “ULHIMICA”.

O amado diz: “A verdade é que aqueles plurais não representavam, segundo a própria Bíblia, seres “ULHIMICOS” em hipótese alguma.”

Para o amado, o que representava? Por que o termo “ULHIM (plural) e não ELOAH (singular) foi INSPIRADO e registrado nos textos bíblicos?

Se essas conclusões são as verdades final sobre este assunto, por que o Eterno não utilizou “ELOAH” em Gênesis e em todas as mais de 2000 referencias em que este termo “ULHIM” (PLURAL) é registrado nos registros inspirados e sagrados?


Para não nos alongarmos mais, os demais textos comentamos numa próxima postagem.


Shalom.
avatar
Pereira
- Áqüila / Priscila -
- Áqüila / Priscila -

Status : no perfil, defina seu status ou deixe em branco.
Sexo : Masculino
Número de Mensagens : 1100
Idade : 55
Cidade/Estado : Japeri/Rio de Janeiro
Religião : Evangelico
Igreja : Nao tenho
País : Brasil
Mensagens Curtidas : 2
Pontos de participação : 3856
Data de inscrição : 18/04/2009

Re: Trindade, Unicismo ou Unitarismo - se eu erradamente crer em um, afeta minha salvação?

Mensagem por Pereira em Seg 27 Jul 2009, 13:57

Amado Valdomiro

O AMADO DIZ: “Você disse: “Com isso estamos afirmando que tanto o Filho quanto o Pai são ULHIM”, mas a Bíblia diz diferente em Ef. 3.9 “E demonstrar a todos qual seja a dispensação do mistério, que desde os séculos esteve oculto em Deus, que tudo criou por meio de Jesus Cristo” Perceba que Deus (Ulhim) criou as coisas, não através de “Ulhim”, mas por meio de seu Filho Jesus Cristo. A própria Escritura é quem faz distinção daquilo que você está dizendo ser a mesma coisa. Deus é um, seu Filho não é o mesmo que Deus é.”


Amado, o Novo Testamento torna explicito o que dantes estava implícito no Antigo testamento. A Unidade de YAOHU não é absoluta, mas composta.

A mesma bíblia que ensina que ULHIM é um só, ensina também que o Pai é ELOAH, o Filho é ELOAH e o Rúkha é Eloha.

A Trindade é portanto a PERFEITA UNIDADE dessas três pessoas ULHIMICAS. Sendo iguais, eternas, da mesma substancia, embora distintas, sendo ELOAH cada uma dessas pessoas.

Não negamos que o Pai Yaohu (Yaveh) seja ELOHA. Já vimos isso quanto aos comentários sobre o termo ULHIM (PLURAL) Este termo é utilizado para especificar a ação conjunta e em perfeita Unidade das pessoas que possuem o titulo ELOHA” Neste caso a Bíblia é clara quando identifica:

Gênesis 1:26. – Na criação do homem a trindade está presente. “E disse ULHIM: Façamos o homem a nossa imagem, conforme a nossa semelhança...”

As Três pessoas ULHIMICAS estão presentes aqui. Sabemos que foi o Filho ELOHA quem criou todas as coisas e também o homem.

Em Gênesis 3:22 lemos: “Então disse Yaohu ULHIM: Eis que o homem é como um de nós, sabendo o bem e o mal...” No entendimento Unicista este termo “um de nós” não tem sentido, é um erro.

Isaias 6:8 “A quem enviarei e quem há de ir por nós?” Novamente a pluralidade na unidade Ulhimica está presente


Portanto amado, O pai sendo Eloha / O Filho sendo Eloha / E o Rúkha sendo também Eloha


O Filho sendo Eloha - João 10:33 - Yaohushua é ELOHA. Nessa passagem os Yaohudim entenderam o que o Messias estava lhes dizendo e por este motivo tinham um motivo para o apedrejamento. Yaohushua se idenfifica um ELOHA.

Filipenses 2:6 - Observe amado que neste texto a palavra grega “morphe” indica tanto o caráter essencial como a figura. O que o texto esta dizendo é que Yaohushua embora seja ELOAH, não se utilizou das prerrogativas da hulhinicidade em seu ministério, e mesmo que fizesse uso delas, não consideraria isso usurpação.

Tito 2:13 - O texto sagrado está dizendo que Yaohushua é o nosso grande ULOHA e Salvador

Hebreus 1:8 - Yaohushua é chamado ULHIM no Antigo testamento. Este texto é uma citação do salmos 45:6-7. O escritor aos hebreus afirma, nesta passagem que o o ULHIM dos salmos citado e Yaohushua.

Atos 20:28 - O texto grego diz que ELOAH comprou sua igreja com seu próprio sangue. Essa passagem mostra que Yaohushua é ELOHA e nos comprou com o seu próprio sangue.

Hebreus 1:6 - Yaohushua é adorado por todos. No céu, na terra e em baixo da terra. Também é adorado pelos anjos Salmos 97:7


E o Rúkha sendo também Eloha - Sobre o Rúkha ULHIM (Gn 1.2) Observe amado que o texto hebraico diz: “v’rúkha ulhim” bem como no moderno “v’ruach Elohim”

A Ação conjunta dessas três pessoas denominamos ULHIM. (PLURAL de ELOHA)

O amado cita: “Dt. 6.4 “Ouve, Israel, Yahweh nosso Deus, Yahweh é UM”. A declaração de fé do monoteísmo bíblico afirma que Deus é UM. não mais, não menos.”

Observe amado que este texto é um texto que fala especificamente do Pai (Yaohu). Chamo sua atenção para o fato do nome ter sido citado. Este fato é muito importante quando tratamos dessas coisas Um outro texto que comprova este sentido é o registro de Salmos 88:18Para que saibam que só tu tens o Nome YÁOHU ULHÍM, o Criador Eterno, "tu, que estás acima de tudo e de todos sobre a face da terra!


A palavra ÚNICO (echad ou errad do hebraico) está no construto. Não é uma unidade absoluta. Essa é a mesma palavra utilizada em Gênesis 2:24. “uma só carne” como pode marido e mulher serem “uma só carne”?

Portanto o texto está corretíssimo quando afrima que Yaohu é UM somente existe um Yaohu. Com certeza não existe outro Eloha Yaohu.


O texto a a baixo confirma o que estamos apontando.

Zc. 14.9 “E Yahweh será rei sobre toda a terra; naquele dia UM será Yahweh, e UM será o seu nome.” Yahweh continuará sendo reconhecido como UM, não mais não menos;

Está Correta suas observação no que refere-se a Yaohu o Pai

Yaohu é Eloha e somente há um Yaohu. Nisto concordamos perfeitamente.

O amado diz: .” O próprio Jesus, através de quem foram criadas todas as coisas diz que só o Pai, é o ÚNICO ULHIM e ele contrasta essa verdade com sua própria existência ao dizer “e a Jesus Cristo” a quem o ÚNICO ULHIM enviou para terra.”


O amado a baixo evidencia uma coletanea de textos que provam essa verdade a cerca de YAOHU. Yaohu é UM e que não existe outro Yaohu. Este é um fato Bíblico perfeitamente confirmado nas Escrituras gregas e hebraicas.


Falando a cerca do PAI: Mt. 23: 9 “E a ninguém na terra chameis vosso pai, porque UM SÓ é o vosso Pai, o qual está nos céus.

Falando a cerca do PAI: Mc. 12:32 “E o escriba lhe disse: Muito bem, Mestre, e com verdade disseste que há UM SÓ Deus, e que não há outro além dele

Falando a cerca do PAI: Jo. 17.3 Orando ao Pai, Jes-s disse: “E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, como o ÚNICO Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, aquele que tu enviaste


Falando a cerca do PAI: Rm. 3.30 “Visto que Deus é UM SÓ, que justifica pela fé a circuncisão, e por meio da fé a incircuncisão


Falando a cerca do PAI: Rm. 16.27 “ao ÚNICO Deus sábio seja dada glória por Jesus Cristo para todo o sempre. Amém

Falando a cerca do PAI: I Co. 8. 4 “Assim que, quanto ao comer das coisas sacrificadas aos ídolos, sabemos que o ídolo nada é no mundo, e que não há outro Deus, senão UM SÓ.

Falando a cerca do PAI: I Co. 8.6 “Todavia para nós há UM SÓ Deus, o Pai, de quem é tudo e para quem nós vivemos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual são todas as coisas, e nós por ele


Falando a cerca do PAI: Gl 3.20 “Ora, o medianeiro não o é de um só, mas Deus é UM

Falando a cerca do PAI: Ef. 4.6 “UM SÓ Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em todos vós.”

Falando a cerca do PAI: I Tm. 1.17 “Ora, ao Rei dos séculos, imortal, invisível, ao ÚNICO Deus, seja honra e glória para todo o sempre. Amém.”

Falando a cerca do PAI: I Tm 2.5 “Porque há UM SÓ Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem.”

Falando a cerca do PAI: Tg. 2.19 “Tu crês que há UM SÓ Deus; fazes bem. Também os demônios o crêem, e estremecem.”

Falando a cerca do PAI: Jd 1.25 “ao ÚNICO Deus, nosso Salvador, por Jesus Cristo nosso Senhor, glória, majestade, domínio e poder, antes de todos os séculos, e agora, e para todo o sempre. Amém.”

Falando a cerca do PAI: Tg. 2.19 “Tu crês que há UM SÓ Deus; fazes bem. Também os demônios o crêem, e estremecem.”

O amado diz: ;” Você disse: “cada um dos seres ULHIMICOS, possuem papeis distintos, pessoais,” A Bíblia apresenta de forma muito clara que NÃO HÁ isso de seres “Ulhimicos”, mas UM SÓ ULHIM (um só Deus). .” UM SÓ, não mais, não menos.”


Amado, concordamos que sendo ULHIM (PLURAL) Cada uma dessas pessoas que compõe essa pluralidade sejam UM, ÚNICO e UM SÓ.

Não poderia ser diferente essa conclusão se afirmamos que cada uma das pessoas ULHIMICAS são distintas em caráter, personalidade e por fim até possuem NOMES diferentes. Portanto amado a bíblia não deixa dúvidas quando revela:


O “Eloha” Yaohu (Pai) sendo UM, ÚNICO e UM SÓ

O “Eloha” Yaohushua (Filho) sendo UM, ÚNICO e UM SÓ

O “Eloha” Rúkha (Enviado) sendo UM, ÚNICO e UM SÓ

Eles são TRÊS Cada um é chamado na Bíblia ELOHA e justamente por isso o termo “ULHIM” e estão em perfeita Unidade, que os tornam UM (errad). Por este mesmo motivo nossos amado irmãos do período pós-bíblico e pós-apostólico diz que ULHIM são o Pai, o Filho e Rúkha Santo em uma composição “ULHIMICA”.

A Trindade portanto, é a PERFEITA UNIDADE dessas três pessoas ULHIMICAS. Sendo iguais, eternas, da mesma substancia, embora distintas, sendo ELOAH cada uma dessas pessoas este é um FOTO bíblico.


Mate-s

Man-YÁOHU 28:18-20"Toda a autoridade no céu e na terra me foi dada", disse aos discípulos. "Portanto, vão e façam discípulos entre todos os povos. Baptizem-nos em Nome Do Pai e do Filho e do RÚKHA hol-HODSHÚA.

Essa declaração de Yaohushua tem como base o conceito da trindade.

1 Corintios 12:4-6 Ora há diversidades de dons, mas o R[ukha e o mesmo. E há diversidade de ministérios, mas o Senh-r é o mesmo. E há diversidade de operações, mas é o mesmo De-s que opera tudo em todos.

A bíblia mostra o aspecto trinitário de ULHIMJ. Faz mensão do Senh-r que é o Filho; do Rúkha que é o Espírito Santos; e De-s (ELOHA) que é o Pai. Portanto os três são ULHIM.

Efésios 4:4-6 Há um só corpo e um so Rúkha, como também fostes chamados em uma só esperança da vossa vocação; em só Senh-r, uma só fé, um só batismo; um só De-s e Pai de todos, o qual é sobre todos e por todos e em todos.

Novamente encontramos nessa passagem a formula trinitariana: O Eloha Pai, o Eloha Filho e o Eloha Rúkha e cada uma dessa pessoas desempenham um papel na Igreja.


Shalom
avatar
Valdomiro
ADMINISTRADOR (auxiliar)
ADMINISTRADOR (auxiliar)

Status : no perfil, defina seu status ou deixe em branco.
Sexo : Masculino
Número de Mensagens : 1293
Idade : 48
Cidade/Estado : Recife/PE
Religião : Protestante
Igreja : Assembléia de Deus
País : Brasil
Mensagens Curtidas : 228
Pontos de participação : 3112
Data de inscrição : 25/11/2008

Re: Trindade, Unicismo ou Unitarismo - se eu erradamente crer em um, afeta minha salvação?

Mensagem por Valdomiro em Seg 27 Jul 2009, 14:24

Olá irmão Jafté, Paz!

Respondendo as suas perguntas.

O problema da Comma Joanina (I Jo. 5.7 “Porque três são os que testificam no céu: o Pai, a Palavra, e o Espírito Santo; e estes três são um.”) prezado irmão é que NÃO é Bíblia. O trecho é um adendo a Bíblia acorrido já tardiamente no processo de transmissão textual. E foi elaborado de tal forma que permite sustentar exatamente esse pensamento que o irmão, piedosamente, tem hoje. Quem incluiu objetivou isso.

Este verso, conhecido com a Comma Johanneum (a cláusula Joanina), é também conhecido como “As Três Testemunhas Celestiais”, e seria o único que “apoiaria” explicitamente a doutrina da trindade ou uma unicidade; as três manifestações de Deus sendo um.

A bíblia Almeida Corrigida contém o texto, já a Almeida Atualizada não o contém, e isto tornou-se objeto de discussão entre os defensores do Textus Receptus (TR), base para a Corrigida, e os defensores do Texto Crítico (TC), base da Atualizada. A evidência textual aponta para a rejeição da passagem “no céu, o Pai, a palavra, e o Espírito Santo: e estes três são um” por não constar nos manuscritos gregos mais antigos. Mas, independentemente do texto crítico cunhado por Westcott e Hort, com base nos manuscritos Aleph (Sinaiticus) e B (Vaticanus), que muitos consideram corrompidos (e não se pretende aqui defender o criticismo, ainda que haja o princípio da probabilidade intrínseca), omitir a Comma Joanina, devemos nos ater a história dessa possível inserção e concluir, baseado nos fatos constatados, se realmente é uma inserção ou não! Para isso vale a pena ler a declaração do Dr. Norman Wilbur Pickering que embora seja um defensor da trindade e do TR atesta “...99% dos MSS gregos não trazem as 'três testemunhas celestiais'” (em Qual o Texto Original do Novo Testamento). Apenas 6 (seis) manuscritos gregos, segundo informa o aparato crítico do Novo Testamento Grego da United Bible Societies, contêm a Comma. São eles: 61, do século XVI; 88, do século XII; 429, do século XIV; 629, do século XIV; 636, do século XV; 918, do século XVI. Sendo que destes alguns omitem alguma parte dela e outros a apresentam como uma nota marginal ao texto principal. Há quem ignore o fato de que a evidência da escassez e recenticidade dos manuscritos gregos testemunham fortemente em desfavor da autenticidade do trecho, e apelam para Thascius Cecilianus Cyprianus, ou simplesmente Cipriano, nomeado bispo de Cartago em 248 d.C. Autor de “De Catholicae Ecclesiase Unitate” (A Unidade da Igreja Católica), e que tem como um de suas máximas a expressão: “Você não pode ter Deus para seu pai, se não tem a Igreja como sua mãe”. Embora se diga que Cipriano, bispo latino, tenha falado, em sua época, a frase que compõe a Comma, não se pode afirmar que ele o tenha feito por conhecimento de algum manuscrito bíblico em grego, aliás, a inexistência de manuscritos gregos, que contenham essa construção, no período em que viveu o Bispo, atesta que ele não o fez baseado em algum texto dos originais da Bíblia. Na verdade há quem afirme que Cipriano é o autor da frase, cunhada em uma de suas homílias e mais tarde usada por um copista como nota marginal nos manuscritos latinos posteriores. Isto parece estar ainda mais evidenciado quando se descobre que nem mesmo os manuscritos da Vulgada Latina anteriores ao ano 800 contêm a Comma. Vale lembrar que Cipriano era Bispo latino, e pelo que se vê ele não leu nem em manuscritos gregos, nem em manuscritos latinos aquilo que se atribui a João em sua primeira epístola. Outra suposta citação das “três testemunhas celestiais” é vista em Cassidoro mais de 200 anos depois de Cipriano. Vale lembrar que enquanto isso os chamados “pais” da igreja estavam debatendo a questão cristológica de forma intensa, e o fizeram sem qualquer menção ao trecho questionado como que atestando sua inexistência. Assim, do ponto de vista historiológico a Comma Joanina partiu de uma nota marginal em um manuscrito latino, vindo a fazer parte da Vulgata já tardiamente e passando, na seqüência, para um texto grego posterior. Ela também não consta em versões antigas do Novo Testamento como a siríaca, a armênia, copta, árabe, etíope e outras. A Bíblia de Jerusalém, que é uma produção de ramos trinitários do cristianismo teria valorizado sobremaneira o trecho se ele fosse, de fato, verdadeiro, mas, ao contrário, diz em nota de rodapé acerca desse trecho que “O texto dos Vv. 7-8 está acrescido na Vulg. de um inciso [...] ausente nos antigos mss. gregos, nas antigas versões e nos melhores mss. da Vulg., o qual parece ser uma glosa marginal introduzida posteriormente no texto” .

O próprio Textus Receptus, do qual se tem a Bíblia Almeida Corrigida Fiel, elaborado por Erasmo de Roterdã, a partir dos textos gregos disponíveis, em sua primeira edição de 1516 não traz, também, a Comma Joanina, nem mesmo na segunda edição que começou a circular em 1519, e somente foi incluída na edição de 1522, por pressão de religiosos da época, que diga-se de passagem já viviam em um mundo completamente romanizado e trinitário. E, embora o tenha feito, os registros informam que Erasmo o fez com ressalvas e sem confiar na autenticidade do único manuscrito grego que lhe foi apresentado constando a Comma, o manuscrito catalogado sob número 61. A própria datação do manuscrito apresentado a Erasmo mostra que ele é contemporâneo do erudito, ou seja, sem valor histórico para finalidade de inclusão na obra. Portanto, percebemos que se o Texto Crítico fosse elaborado na época das primeira e segunda edições do Textus Receptus, teriam ambos, de forma idêntica, o texto de I João 5.7; sem as “três testemunhas celestiais”. De modo que não é o TC que determina o uso ou não da Comma Joanina, mas os fatos históricos que testemunham em seu desfavor. Então, se o primeiro manuscrito grego que se tem notícias que o contém data de mais de 1000 (mil) anos depois de Cristo; o primeiro manuscrito latino que o contém data do ano 800 (oitocentos) depois de Cristo; se as antigas versões do Novo Testamento para outras línguas não o contém e esses trecho não aparece nas discussões teológicas que envolveram o tema durante séculos, principalmente dos primeiros séculos, como pode ser escrito original de João?

Alguns alegam que se retirada as “três testemunhas celestiais” de I Jo. 5.7, produz-se um erro gramatical, mas isso (o erro gramatical) não é incomum nos textos gregos bíblicos, até porque os escritores tinham graus de conhecimento diferentes da língua o que torna a possibilidade de erro real. A esse título, temos coisas incomuns como, por exemplo, três substantivos femininos reunidas num plural neutro em I Co. 13.13, ou em Ap. 1.13 o uso de “μαστός” (mama ou peito, donde temos mastologia) aplicado a Jesus. A mesma palavra é usada em Lc. 11.27 “Bem-aventurado o ventre que te trouxe e os peitos em que mamaste.”; ao invés de κολπός (kolpos), seio, peitoral, como em Jo. 13.23. Há ainda casos em que um substantivo feminino foi masculinizado, só para citar alguns exemplos. Assim, também isso não é argumento em favor da Comma Joanina.

Então, considerando os fatos, pode-se afirmar que a Comma não faz parte dos escritos originais de João.
avatar
Valdomiro
ADMINISTRADOR (auxiliar)
ADMINISTRADOR (auxiliar)

Status : no perfil, defina seu status ou deixe em branco.
Sexo : Masculino
Número de Mensagens : 1293
Idade : 48
Cidade/Estado : Recife/PE
Religião : Protestante
Igreja : Assembléia de Deus
País : Brasil
Mensagens Curtidas : 228
Pontos de participação : 3112
Data de inscrição : 25/11/2008

Re: Trindade, Unicismo ou Unitarismo - se eu erradamente crer em um, afeta minha salvação?

Mensagem por Valdomiro em Seg 27 Jul 2009, 14:26

Jefté,

Quanto a Mt. 20.19 “Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”. Precisamos perceber que aqui não se diz que os três são parte de uma mesma deidade. Os mais achegados ao estudo das Escrituras já leram sobre as suspeitas que recaem sobre a redação desse versículo. Segundo alguns críticos textuais a redação original é “Ide, e fazei discípulos de todas as nações em meu nome”, esta forma é, também, encontrada nos escritos do autor de História Eclesiástica, Eusébio de Cesaréia, antes do concílio de Nicéia. Após o concílio algumas poucas vezes ele citou como consta na versão hoje utilizada. Mas, se o questionamento da redação for de difícil aceitação, então, que se perceba os exemplos bíblicos acerca do batismo. O que realmente salta aos olhos para os estudantes das ocorrências do batismo nas águas é o fato de que em nenhuma das práticas de batismo registrados na Bíblia se vê o uso da chamada fórmula batismal “em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”, ou seja, se, de fato, a ordem foi dada ela não foi cumprida à risca, e, se o objetivo era apenas de mostrar que o batismo ocorreria na autoridade dos três, porque os discípulos não fizerem questão de seguir a mesma idéia?

O batismo tendo como referência Jesus ocorriam já na época de sua pregação enquanto na terra, conforme lemos em Jo. 4.2 “E quando o Senhor entendeu que os fariseus tinham ouvido que Jesus fazia e batizava mais discípulos do que João (Ainda que Jesus mesmo não batizava, mas os seus discípulos)”. Se a pretendida ordem de um batismo em nome de três representantes ocorreu somente na ascensão, em nome de quem batizavam os seus discípulos aos arrependidos antes disso? Se já batizavam em nome dos três, porque não se vê tal prática no registro da seqüência histórica que é o livro de Atos? Ou não se batizava em nome de ninguém e os registros de Atos apenas reflete a desobediência da recomendação “trinômica” dada por Jesus em Mt. 28.19? Se a intenção do registro de Mateus foi apenas dizer que o batismo era em autoridade conjunta dos três alistados, porque não vemos batismo “em nome de Pai” ou “em nome do Espírito Santo” como prática comum dos discípulos, mas apenas usando o nome Jesus?

Sempre que se fala de batismo referindo-se a autoridade ou finalidade da prática, não somente no livro de Atos, mas nas epístolas, está ligado a Jesus e não confirmam a fórmula tríplice do batismo usada pela grande maioria das igrejas de hoje, isto pode ser constado em At. 2.38 “E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo”, At. 8.16 “(Porque sobre nenhum deles tinha ainda descido; mas somente eram batizados em nome do Senhor Jesus)”, At. 10.48 “E mandou que fossem batizados em nome do Senhor. Então rogaram-lhe que ficasse com eles por alguns dias”, (aqui vale uma observação porque alguns talvez queiram ver na palavra “Senhor” em At. 10.48 uma referência a Yahweh, mas no que tange a pregação relativa ao batismo a referência é Jesus conforme se prova em At. 18.8 “E Crispo, principal da sinagoga, creu no Senhor com toda a sua casa; e muitos dos coríntios, ouvindo-o, creram e foram batizados”, ora Crispo como um dirigente da Sinagora não precisava passar a crer em Yahweh, ele era, de uma forma ou de outra, judeu e já cria em Yahweh, mas precisava crer em Jesus, e nesse texto Jesus é intitulado de Senhor. Outros versículos são At. 19.5 “E os que ouviram foram batizados em nome do Senhor Jesus”, Rm. 6.3 “Ou não sabeis que todos quantos fomos batizados em Jesus Cristo fomos batizados na sua morte?”, I Co. 1.13 “Está Cristo dividido? foi Paulo crucificado por vós? ou fostes vós batizados em nome de Paulo?” e L 3.27 “Porque todos quantos fostes batizados em Cristo já vos revestistes de Cristo.”

A expressão iniciada em “no nome...” e não “nos nomes”, tem levantado defensores alegando que a consubstancialidade na Deidade entre os três alistados está expressa ai, mas isso é uma conclusão apressada pois quando se diz “em nome de tal e tal” não se pretende admitir igualdade entre os alistados, mas invocar a autoridade conjunta dos nomeados para legitimação do ato, sem contudo os considerar iguais ou o mesmo ente. Na Bíblia encontramos, por exemplo, em Dt. 18.20 “em nome de outros deuses” ao invés de “nos nomes de outros deuses” e os tais certamente não eram uma poliunidade de deuses consubstanciados ou um único “deus” pagão plural.

Quando se ler em Mt. 28.19 a expressão “em nome … do Espírito Santo”, quem tem a consciência trinitária ou unicista não se questiona sobre quantas vezes a expressão “em nome do Espírito Santo”, “em nome do Espírito de Deus” ou pelo menos “em nome do Espírito” ocorre dentro da Bíblia. Bem, nas escrituras encontra-se “em nome de Yahweh...” inúmeras vezes como em Dt. 18.22, “em nome de Jesus Cristo”, inúmeras vezes como em At. 4.10, mas “em nome do Espírito” é algo inexistente dentro da Bíblia a não ser que consideremos a própria ocorrência de Mt. 28.19 como o único legítimo representante. No entanto os eruditos da própria religião berço do trinitarismo, portanto sem qualquer intenção de tentar diminuir, esconder, ou retirar qualquer passagem bíblica que corrobore a doutrina que eles defendem dentro da mesma Bíblia que usam, testificam Mt. 28.19: “É possível que, em sua forma precisa, essa fórmula reflita influência do uso litúrgico posteriormente fixado na comunidade primitiva. Sabe-se que o livro dos Atos fala em batizar “no nome de Jesus” (cf. At. 1,5 + 2,38 +). Mais tarde deve ter-se estabelecido a associação do batizado às três pessoas da Trindade.”(A Bíblia de Jerusalém – Edições Paulinas – 1991, pg. 1896, em nota de rodapé a Mt. 28.19.) Essas palavras mostram que a redação de Eusébio de Cesaréia, historiador da Igreja e que fez citações dessa passagem Mateus 28.19, provavelmente seja a correta e foi reconhecida como alterada posteriormente pela igreja católica que foi a organização que por muito tempo detinha o domínio sobre o que deveria ou não ser usado na religião cristã.

De qualquer forma está provado por Dt. 18.20 não se trata de um conjunto de três em um.
avatar
Valdomiro
ADMINISTRADOR (auxiliar)
ADMINISTRADOR (auxiliar)

Status : no perfil, defina seu status ou deixe em branco.
Sexo : Masculino
Número de Mensagens : 1293
Idade : 48
Cidade/Estado : Recife/PE
Religião : Protestante
Igreja : Assembléia de Deus
País : Brasil
Mensagens Curtidas : 228
Pontos de participação : 3112
Data de inscrição : 25/11/2008

Re: Trindade, Unicismo ou Unitarismo - se eu erradamente crer em um, afeta minha salvação?

Mensagem por Valdomiro em Seg 27 Jul 2009, 14:28

Jefté,

Você citou também Jo. 10.30 “Eu e o Pai somos um”. Agostinho chega a afirmar que Jesus queria dizer “'O que ele é, eu sou', segundo a essência e não segundo a relação” (A trindade, Paulus Editora, 2ª Edição – 1994, pág. 219), esse entendimento, porém, não parecer ser o que a Bíblia apresenta, e ele disse isso porque o verso remeteria em uma leitura direta às hipóstases (a relação de pai e filho) e não a essência, porém Agostinho não nos traz nenhum versículo bíblico para tentar provar essa suposta verdade, simplesmente confia na sua autoridade de filósofo e clérigo católico, doutor da igreja, e com essa “autoridade” afirmava: “Ego vero Evangelio non crederem, nisi me catholicae Ecclesiae commoveret auctoritas – Eu não creria no Evangelho, se a isto não me levasse a autoridade da Igreja Católica”. Mas, precisamos ler esse versículo de João considerando o conjunto das Escrituras e, nesse sentido, quando olhamos para a oração sacerdotal, esta sim está na Bíblia, registrada por João mesmo, encontramos as palavras do Senhor nos seguintes termos: “para que todos sejam um; assim como tu, ó Pai, és em mim, e eu em ti, que também eles sejam um em nós” (Jo. 17:21). Aqui Nosso Senhor mostra que suas palavras não intentaram igualdade de “essência” ou de pessoas (hipóstases) por incluir Ele e o Pai juntamente com os discípulos em uma mesma unidade; até porque essa questão de “essência” ou “substância”, relacionada a isso, é produto teológico muito posterior ao período bíblico. Vale lembrar, ainda, que aqui é usado ἕν “hen” (“um” neutro em grego) em ambas as passagens, diferente do uso que a Septuaginta fez do “um” no Shemá (Dt. 6.4), quando usou εἷς “heis” (um masculino em grego). Se estivesse na mente de Jesus dizer que era igual na Deidade, ou seja, um Deus consubstancial, então, a palavra Deus é masculina singular, ou se mesmo na remotíssima hipótese de ele haver pensado na palavra “homoousios” (mesma substância) esta é, também, masculino singular, desse modo deveria constar εἷς “heis” também, e isso não aconteceu. É interessante observar que em Jo. 10.29, Jesus diz: “Meu Pai, que mas deu, é maior do que todos; ...”, a conclusão descontextualizada é que se o Pai é Maior que todos, por ser Deus, e Jesus diz que “Eu e o Pai somos um”, então, Jesus seria Deus da mesma forma que o Pai é, mas se é desse jeito, então, somos todos Deus, pois em Jo. 17.21, já lido, Deus continua sendo o que é, Jesus também, e nos de igual modo continuamos sendo o que somos, mas o Nosso Senhor diz, com relação a ser UM com seus discípulos: “ASSIM COMO tu ó Pai, és em mim, e eu em ti”, parafraseando para o sentido correto teríamos: “Embora eu seja um contigo mesmo não sendo igual a tu, que eles seja um conosco, mesmo não sendo igual a nós”. Acerca dEle mesmo em relação ao Pai, levando em conta a questão de grau de superioridade, Jesus disse em Jo. 14.28 : ... o Pai é maior do que eu. Note bem este último verso! Jesus está falando na condição de Filho, por isso diz “o Pai”, Ele não está falando de sua condição de homem no relacionamento com Deus, mas Filho para com o Pai, e como Filho, Ele diz que o Pai é maior de que Ele, anulando a pretensão agostiniana ou trinitariana do requerimento de igualdade entre o Pai e o Filho, quando o teólogo tentou desfazer a afirmação de Jesus “... o Pai é maior do que eu” alegando que Jesus, em certo sentido, “É inferior a sim mesmo”(Agostinho in A trindade, Paulus Editora, 2ª Edição – 1994, pág. 53), porque se esvaziou a si conforme está escrito em Fl. 2.6, mas esse pensamento parece ignorar o fato de que Jesus não é somente Filho de Deus na terra, quando encarnado, mas já o era no céu antes do esvaziamento, de modo que se ele era filho antes, é agora, e, será eternamente, então, ele falou em sua condição de Filho ao dizer "o Pai é maior". Dessa forma, ainda que fosse verdadeira a hipotética idéia (digo hipotética porque a expressão não está na Bíblia, é uma expressão criada) de um “Deus Filho”, ainda assim Ele informa ser menor que o Deus Pai, mostrando, por via de conseqüência, não poder ser igual a Deus, inclusive na eternidade.

Inexplicavelmente ignorando o argumento acima, muitos dizem que o sentido de Jo. 10.30 foi o de realmente se igualar a Deus, o Pai, porque nos versos seguinte se vê uma tentativa de apedrejamento de Jesus por parte dos judeus. Mas, na seqüência vemos que Ele perguntou aos seus opositores e obteve uma resposta: Jo. 10:32 “Disse-lhes Jesus: Muitas obras boas da parte de meu Pai vos tenho mostrado; por qual destas obras ides apedrejar-me? 33 Responderam-lhe os judeus: Não é por nenhuma obra boa que vamos apedrejar-te, mas por blasfêmia; porque, sendo tu homem, te fazes Deus.” Por esse verso ser seguinte a expressão “Eu e o Pai somos um”, a interpretação imediatista é que a blasfêmia, assim entendida pelos judeus, seria por essa afirmação, mas a informação textual não pára no verso 32, e vale a pena lermos o restante: “34 Tornou-lhes Jesus: Não está escrito na vossa lei: Eu disse: Vós sois deuses? 35 Se a lei chamou deuses àqueles a quem a palavra de Deus foi dirigida (e a Escritura não pode ser anulada), 36 àquele a quem o Pai santificou, e enviou ao mundo, dizeis vós: Blasfemas; porque eu disse: Sou Filho de Deus?. O curioso do estudo dessa passagem bíblica é que todos reconhecem a visão errada dos judeus, principalmente a má interpretação que os fariseus sempre fizeram das palavras de Jesus em todo Novo Testamento, e que estes constantemente o acusavam enganosamente, mas surpreendentemente os trinitarianos acham, agora, que os fariseus haviam entendido acertadamente(?), de forma indubitável, que Jesus teria afirmado ser o próprio Deus, mas o Mestre mostra o engano de ambos ao continuar o diálogo e explicita que não haveria motivo para espanto. O primeiro ponto a observar é que nem os judeus e nem Jesus se reportaram, na seqüência, a afirmação “Eu e o Pai somos um”. Está claro no fechamento das palavras de Jesus: “dizeis vós: Blasfemas; porque eu disse: Sou Filho de Deus?” que a causa foi a afirmação ocorrida quatro vezes desde o verso 25 do capítulo, que Deus era seu Pai. Jesus lembra aos judeus que as Escrituras já haviam chamado homens de “deuses” e ela, a Escritura, não pode ser anulada. Ele poderia ter falado também dos falsos deuses que são chamado de “deus”, mas nesse caso, como não se tratava do uso legítimo do termo “deus”, pois são falsas divindades, Jesus não citou, mas no caso dos juízes foi o próprio Yahweh, através dos escritores sacros, quem os chama assim. Jesus, porém, sequer reivindicou igualdade de situação com eles, pelo contrário, justificou que não estava se auto proclamado “Deus”, e nem o poderia fazer, pois no verso 36, do mesmo contexto, vemos sua afirmação: “àquele a quem o Pai santificou, e enviou ao mundo”, Ele não poderia passar pelo processo de santificação (separação) antes de vir ao mundo e ser Deus ao mesmo tempo. Ele apenas nos disse ser Filho de Deus. Perceba dessa resposta de Jesus que os fariseus não levaram a cabo a intenção de apedrejar o Mestre pela clareza da explicação. Deveriam ter feito se o entendimento deles estivesse correto, mas mudaram, então, para tentativa de aprisionamento, Jo. 10.39. É como se Ele estivesse dizendo: “eu não estou falando que sou Deus, estou dizendo que sou Filho. Na Bíblia há a afirmação de pessoas com a designação de 'Deus' e vocês consideram normal, então, não me estranhem.” Há que se observar, também, que chamar Deus de Pai não era uma exclusividade de Jesus, os próprios fariseus que tentaram condená-lo por isso, também chamavam Deus de Pai, Jo. 8.41 “... Nós não somos nascidos de prostituição; temos um Pai, que é Deus.”, ora se eles próprio chamavam Deus de Pai, porque Jesus, com muito mais propriedade, por ser o Messias prometido, não poderia fazê-lo? Fica claro o tamanho da deturpação que os fariseus fizeram das palavras de Jesus com o objetivo de o incriminar. Aqui vale a pena abrir um parênteses para registrar que quando Jesus já estava preso e sendo julgado o sumo sacerdote lhe perguntou: “Conjuro-te pelo Deus vivo que nos digas se tu és o Cristo, o Filho de Deus”. Vemos que a expressão “Filho de Deus”, no sentido messiânico, associa-se com a palavra “Cristo”. O Sacerdote insistia com Jesus, para que ele disse, pelo Deus vivo, se era o Cristo, Filho de Deus. Para o Sumo Sacerdote a expressão “Filho de Deus” não o identificava como “Deus”, mas como “Cristo”. Isto estava na mente dos judeus da época, como se confirma nas palavras de Marta, em Jo. 11.27; nas palavras de João, o evangelista, em Jo. 20.31; e até os demônios em Lc. 4.41, além de outras ocorrências. Os fariseus O rejeitavam porque não viam nEle, Jesus, o cumprimento das profecias, então, para eles, se Jesus se auto afirmava “o Cristo”, era se fazer Deus, não no sentido da igualdade, pois o Ungido de Deus, não é o próprio Deus, mas de tomar o lugar para ter autoridade de se auto proclamar Cristo, pois somente Deus pode designar o seu Cristo. Se os fariseus cressem nas Escrituras de forma correta creriam em Jesus e não o acusariam , pois perceberiam que Deus o havia enviado, e porque não o criam, entendiam que Jesus estava querendo se fazer como Deus para se proclamar Cristo, daí o acusarem de blasfêmia.. O lamentável é que hoje se usam, deturpadamente, aquelas palavras do Nosso Divino Mestre em conjunto com a dos fariseus para O deificar, mesmo Ele tendo explicado, naquela época que esse conceito é errado. E isto se vê provado não somente pelo já exposto, mas também pelo contido em Fp. 2.6, pois se Ele, na condição divina que tinha antes de encarnar, não quis elevar-se ao status de igualdade com Deus, mas esvaziou-se a si mesmo e assumiu a forma de servo, como iria querer, nessa forma de servo, anular a afirmação e o propósito do esvaziamento de Fp. 2.6 e querer fazer-se, agora, diante de todos igual a Deus? Jesus incansavelmente rebatia quem afirmava que ele estava se fazendo Deus. Vejamos outro exemplo; em Jo. 5.18 “...mas também dizia que Deus era seu próprio Pai, fazendo-se igual a Deus.”, ele logo no verso seguinte ao relato, no v.19, traz um esclarecimento, como resposta, que anula qualquer pretensão de uma suposta reivindicação de igualdade com Deus, seu Pai: Mas Jesus respondeu, e disse-lhes: Na verdade, na verdade vos digo que o Filho por si mesmo não pode fazer coisa alguma, se o não vir fazer o Pai; porque tudo quanto ele faz, o Filho o faz igualmente.” Um dos atributos de Deus é a auto-suficiência, de modo que se o Filho alegou que não podia por si mesmo fazer coisa alguma, então fica óbvio: Ele não estava afirmando ser Deus.

Temos ainda uma terceira implicação se considerássemos corretos os termos técnicos usados pela teologia pós-apostólica da trindade. Em Jo. 10.30, Ele, Jesus, afirma enquanto Filho ser um com o Pai, ou seja, não seria, nesse caso, uma identificação com a deidade, mas com a hipóstase Pai. Porém o credo atanasiano, que diga-se de passagem não foi composto por Atanásio, afirma: “não confundindo as pessoas e nem dividindo a substância”. Aceitar a igualdade plena baseado nesse versículo seria confundir as pessoas, pois é delas que o texto fala (Pai e Filho), e contrariaria, ainda, Agostinho que disse: “O Pai é só Pai, o Filho unicamente Filho” (Agostinho embora tenha dito isto, tenta, ele mesmo, desfazer o que disse usando de extrema subjetividade ao afirmar acerca de Jo. 10.30 que “Portanto, o Pai e o Filho são um pela unidade de substância...” - A Trindade, pág. 220). Além do mais em outro momento o Filho diz, como já visto, ser menor que o Pai, Jo. 14.28 “Vou para o Pai; porque meu Pai é maior do que eu.”, então a igualdade falada em Jo. 10.30 não está na natureza, mas na unidade de propósitos. Há que ser observado ainda o fato de como Jesus contava ele e o Supremo Ser, em Jo. 8.17, ele diz: “Eu sou o que testifico de mim mesmo, e de mim testifica também o Pai que me enviou.”, ele disse isso quando reivindicou a validade da lei do testemunho que exige dois, se ele fosse um único ente (Deus) com o Pai, não poderia reivindicar legitimamente a lei. Em João 14.1 lemos: “Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim”. Tanto na identificação do Eterno como seu Pai ou como Deus, Jesus ao incluir-se em uma contagem, conta como entes distintos, dois e não um. Assim, parece realmente, por vários e vários motivos, não haver razão para achar que Jesus tenha pretendido ser Deus, nem mesmo igual a Deus quando afirmou: “Eu e o Pai somos um”.

Na Paz!
Valdomiro.
avatar
Valdomiro
ADMINISTRADOR (auxiliar)
ADMINISTRADOR (auxiliar)

Status : no perfil, defina seu status ou deixe em branco.
Sexo : Masculino
Número de Mensagens : 1293
Idade : 48
Cidade/Estado : Recife/PE
Religião : Protestante
Igreja : Assembléia de Deus
País : Brasil
Mensagens Curtidas : 228
Pontos de participação : 3112
Data de inscrição : 25/11/2008

Re: Trindade, Unicismo ou Unitarismo - se eu erradamente crer em um, afeta minha salvação?

Mensagem por Valdomiro em Seg 27 Jul 2009, 14:30

Pereira,

Logo mais à noite respondo alguma coisa de tua postagem!!!

Shalom!
Valdomiro.

Edison
- Áqüila / Priscila -
- Áqüila / Priscila -

Status : no perfil, defina seu status ou deixe em branco.
Sexo : Masculino
Número de Mensagens : 2017
Idade : 65
Cidade/Estado : Curitiba
Religião : Cristão
Igreja : www.apalavraoriginal.com.br
País : Brasil
Mensagens Curtidas : 17
Pontos de participação : 5093
Data de inscrição : 29/11/2008

Re: Trindade, Unicismo ou Unitarismo - se eu erradamente crer em um, afeta minha salvação?

Mensagem por Edison em Seg 27 Jul 2009, 14:39

Irmão Valdomiro,

Parabéns pela paciência e pela dedicação. É um exemplo a ser seguido, a começar por mim.

E glórias a Deus pela Luz que lhe tem dado.

Mas, dentro desse assunto há um "fio de navalha" para passarmos e sairmos do outro lado com a fé intacta.

Confesso que não sei ainda direito o que é, mas que há, há.

Um abraço fraternal.

Edison

José Herminio
- Abraão / Sara -
- Abraão / Sara -

Status : no perfil, defina seu status ou deixe em branco.
Sexo : Masculino
Número de Mensagens : 148
Idade : 57
Cidade/Estado : Curitiba/Paraná
Religião : Cristão
Igreja : Assembléia de Deus
País : Brasil
Mensagens Curtidas : 1
Pontos de participação : 137
Data de inscrição : 27/11/2008

Re: Trindade, Unicismo ou Unitarismo - se eu erradamente crer em um, afeta minha salvação?

Mensagem por José Herminio em Seg 27 Jul 2009, 16:20

Respondendo a pergunta do tópico:

A minha simples opinião!

Eu creio que pode afetar desde que, não seja no tempo da ignorância, mas no tempo do esclarecimento ao desconsiderar que Jesus é Deus, visto que no AT Deus testificou nas seguintes palavras:

Isaias 43:11 Eu, eu sou o SENHOR, e fora de mim não há Salvador. 12 Eu anunciei, e eu salvei, e eu o fiz ouvir, e deus estranho não houve entre vós, pois vós sois as minhas testemunhas, diz o SENHOR; eu sou Deus.

Isaias 45: 20 Congregai-vos, e vinde; chegai-vos juntos, os que escapastes das nações; nada sabem os que conduzem em procissão as suas imagens de escultura, feitas de madeira, e rogam a um deus que não pode salvar. 21 Anunciai, e chegai-vos, e tomai conselho todos juntos; quem fez ouvir isto desde a antiguidade? Quem desde então o anunciou? Porventura não sou eu, o SENHOR? Pois não há outro Deus senão eu; Deus justo e Salvador não há além de mim. 22 Olhai para mim, e sereis salvos, vós, todos os termos da terra; porque eu sou Deus, e não há outro.

Sendo mais uma abordagem ou melhor um fato a ser considerado sobre à divindade de Jesus Cristo


Complementando no NT:
Atos 4;12 E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos.

Portanto Jesus é o único salvador, Jesus é Deus

[]s.

Jefté
- Áqüila / Priscila -
- Áqüila / Priscila -

Status : no perfil, defina seu status ou deixe em branco.
Sexo : Masculino
Número de Mensagens : 1683
Idade : 54
Cidade/Estado : Florianópolis - Santa Catarina
Religião : Cristão
Igreja : Não tenho
País : Brasil
Mensagens Curtidas : 37
Pontos de participação : 4048
Data de inscrição : 27/12/2008

Re: Trindade, Unicismo ou Unitarismo - se eu erradamente crer em um, afeta minha salvação?

Mensagem por Jefté em Seg 27 Jul 2009, 21:25

Waldomiro

Agradeço pela minuciosa e aplicada resposta.

Bom, agora quanto a sua pergunta sobre como creio:
Creio na Trindade: .
Um Deus - Pai, Filho e Espírito Santo - Três pessoas coexistindo em Perfeita Unidade e Perfeita Hierarquia e Perfeita Harmonia e Perfeito Amor!
Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo!

--------------------------

Quanto a comma joanina, tenho alguns pontos:

Sabemos que Deus Pai está nos ceus:
"Assim diz o Senhor: O céu é o meu trono, e a terra o escabelo dos meus pés; que casa me edificaríeis vós? E qual seria o lugar do meu descanso?" (Is. 66:1)

Sabemos que Cristo está nos céus:
"Mas ele, estando cheio do Espírito Santo, fixando os olhos no céu, viu a glória de Deus, e Jesus, que estava à direita de Deus." (At. 7:55 - Sal. 110:1)

O Espírito Santo foi enviado dos céus:
"Aos quais foi revelado que, não para si mesmos, mas para nós, eles ministravam estas coisas que agora vos foram anunciadas por aqueles que, pelo Espírito Santo enviado do céu, vos pregaram o evangelho; para as quais coisas os anjos desejam bem atentar."

O Espírito também está no céu pois penetra até as profundezas de Deus:
"Mas Deus no-las revelou pelo seu Espírito; porque o Espírito penetra todas as coisas, ainda as profundezas de Deus."

Eatá também em nossos corações:
"E da mesma maneira também o Espírito ajuda as nossas fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis."

O Espírito Santo estava em Cristo e no céus - pois ainda não tinha sido enviado:
"E o Espírito Santo desceu sobre ele em forma corpórea, como pomba; e ouviu-se uma voz do céu, que dizia: Tu és o meu Filho amado, em ti me comprazo." (Luc. 3:22)

"Mas, quando vier aquele, o Espírito de verdade, ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir. (Jo. 16:13)

Conforme os versos acima, não vejo erro algum na comma joanina, pois o Pai e o Filho têm seu trono nos céus e o Espírito Santo tanto habita os céus como a terra, como quando estava em Cristo e ainda não tinha sido enviado aos homens!
Não acha?

Ainda tenho muito a dizer sobre a Trindade!

avatar
Valdomiro
ADMINISTRADOR (auxiliar)
ADMINISTRADOR (auxiliar)

Status : no perfil, defina seu status ou deixe em branco.
Sexo : Masculino
Número de Mensagens : 1293
Idade : 48
Cidade/Estado : Recife/PE
Religião : Protestante
Igreja : Assembléia de Deus
País : Brasil
Mensagens Curtidas : 228
Pontos de participação : 3112
Data de inscrição : 25/11/2008

Re: Trindade, Unicismo ou Unitarismo - se eu erradamente crer em um, afeta minha salvação?

Mensagem por Valdomiro em Seg 27 Jul 2009, 22:37

Prezado Pereira, Paz!

Meu irmão você disse em uma postagem: "Com certeza também não são co-iguais por que a Bíblia faz questão de afirmar as diferenças entre eles" e na seguinte disse: "Sendo iguais, eternas, da mesma substancia, embora distintas". É realmente isso que leva o conceito trinitário, por mais que se tente equacionar a conclusão é uma contradição: "São iguais, sendo diferentes" ou "Iguais em algumas coisas e diferentes em outras", "co-iguais diferentes", "mesma substância, mas diferentes" (???) e por ai vai. A Bíblia ensina alguma coisa desse tipo ou isso é fruto da teologia pós-apostólica?

Você disse que é o NT que mostra a unidade composta de Deus, então, abençoado irmão você poderia indicar onde isso acontece no NT?

Pelo que tenho lido e até mostrados os versos dizem exatemente o contrário. Na verdade há mais versículos no NT que dizem ser Deus UM, ÚNICO e UM SÓ que o VT. Que diga-se de passagem o amado irmão ignorou o fato de que os versículos que citei fazem nítida distinção entre Deus e seu Filho. Apontando ao primeiro como Deus e ao segundo como Filho e não como um Eloah (???). Deus, nesses versos está nominado ou adjetivado de Deus ou de Pai e diz que Deus é UM, ÚNICO e UM SÓ ULHIM, junto a este UM, ÚNICO e UM SÓ Deus (ULHIM) está seu Filho, Jesus Cristo Nosso Senhor. Nenhum desses versos que diz que Deus é UM, ÚNICO e UM SÓ alega que se trade de ELOAH(S), nem inclui Nosso Senhor Jesus Cristo nessa contagem. Afirmar que Jesus é único e que o Espírito Santo é único, não os inclui nos versos citados. Lembro agora que você citou para mim: "Repare amado que a força dos tratados e códigos referentes a essa doutrina esconde de sua percepção um ponto importante" faço minhas, agora, as suas palavras.

Você disse: "Entretanto, não é porque os antigos não entendiam dessa forma e alguns até mesmo nos dias atuais se opunham a essa verdade revelada que devamos deixar de entender como hoje entendemos", mas a verdade revelada acerda de Deus, amado irmão, está na Bíblia não nas teologias posteriores aos Escritos Sagrados.

Você disse: "Não amado existe hoje por que alguns precisam eliminar essa evidência bíblica para fazer valer de seus conceitos. PLURAL é PLURAL nada mais", mas uma vez ignora todos os versículos que já coloquei mostrando que a seres não "plurais" foram aplicadas palavras plurais sem que estes fossem, cada ente destes, algum composto. Ignorar os idiotismos das línguas bíblica o proibirá de ter uma visão clara da realidade escrita. Não há qualquer intenção de "eliminar evidências", pelo contrário, quando os tradutores da Septuaginte e os escritores do Novo Testamento traduzira אֱלֹהִים "elohim" por θεὸς "theos" ao invés de θεοὶ "theoi" o que seria o exato equivalente daquela palavra hebraica, apenas provaram que o entendimento deles não era que אֱלֹהִים "elohim" abarcasse alguma pluralidade em Deus, ou que devesse ser entendido dentro dessa palavra 03 (três) ULs, ELOAHs. Some-se a esse fato concreto todos os versículos citados que afirmam que Deus é UM, ÚNICO e UM SÓ.

Falarmos "façamos", "um de nós" ou coisas do gênero é expressão tão comum em qualquer língua quando se está acompanhado de alguém não necessariamente de co-iguais, que me impressiona o irmão enxergar apenas pluralidade em Deus por causa dessas passagens. Perceba que na contra-mão desse seu entendimento que só no relado da criação a palavra Elohim aparece 35 vezes sozinha e sempre o verbo que expressa a ação está no singular. Você diz "Pode ser observado em qualquer texto hebraico que ULHIM INSPIROU, todos os verbos, adjetivos e pronomes no plural, e estão igualmente concordando com o plural ULHIM." E eu te pergunto, e responda-me por favor, essa sua afirmação é em toda Bíblia ou só nesses 03 (três) versículos que você citou?

Olha irmão você dizer que Yahweh é "UL", Jesus é "UL" e o Espírito Santo é "UL" e estes compõem um "ULHIM" isso ai não é trindade é triteísmo. O ensino trinitário diz que cada um não é menos Deus que os outros dois e os três juntos não são mais Deus que qualquer um deles individualmente e Agostinho confirma essa idéia dogmática ao afirmar que “na verdade substancial, não somente o Pai não é maior do que o Filho, mas que ambos juntos não são maiores do que o Espírito Santo" ou cada um é ULHIM sem diferença dos outros dois ou você cai, fatalmente, em triteísmo.

Quanto a palavra "Altissimo", o irmão ainda que indiretamente reconhece que aquela sua informação inicial estava equivocada.

Ao dizer "Amado, temos sim a sensibilidade e concordamos que cada uma das pessoas ULHIMICAS é UM, ÚNICO e UM SÓ." O irmão deu um deturpada e tanto nos versículos que citei. Você também irmão é UM e UNICO e UM SÓ, mas não é um ser composto de mais de um ente. Os versículos que citei dizem isso acerca de Deus e não acerca de um ser ULHÍMICO, caso contrário aqueles expressões perdem o sentido e não haveria motivo do Escritor Sagrado dizer aquilo.

Se você prefere a "verdade" dos irmãos do período pós-bíblico ao dizer: "Por este mesmo motivo nossos amado irmãos do período pós-bíblico e pós-apostólico diz que ULHIM são o Pai, o Filho e Espírito Santo em uma composição “ULHIMICA", preciso respeitar seu ponto de vista, mas prefiro a afirmação Bíblia que ULHIM é UM, ÚNICO e UM SÓ e que este é o PAI conforme Paulo afirma em I Co. 8.6 "Porque para nós há um só ULHIM, o Pai..."

Mais uma vez ao você fala em quantidade da ocorrência da palavra ELOHIM e mais uma vez ignora o fato de que há centenas de ocorrências dessa palavra aplicada a homens, anjos e falsos deuses. Acreditar que um ídolo de pedra seja algum composto, talvez até seja: três tipos de pedras diferentes (???), mas não anjos e homens.

Alguns versículos que você cita na sequência de sua segunda postagem são comentados nas postagens ao Jefté. Os outros já tenho alguma coisa escrita, mas aos poucos vamos postando para não ficarmos com vários pontos de dabate.

Irmão você fez bem em reconhecer o Pai em cada uma das ocorrências que diz que Deus é UM, ÚNICO e UM SÓ. E isso comprova que não se pode usar esses versos para o Filho e Espírito e que não existe os correlatos desses versos em aplicação ao Filho e ao Espírito Santo afirmando que eles sejam UM, ÚNICO E UM SÓ Eloah. A propósito, com respeito digo, você é puramente arbitrário ao dizer que cada um é ELOAH e o conjunto deles é ELOHIM, pois essa afirmação carece de versículos que provem isso e na verdade pende para triteísmo.
avatar
Valdomiro
ADMINISTRADOR (auxiliar)
ADMINISTRADOR (auxiliar)

Status : no perfil, defina seu status ou deixe em branco.
Sexo : Masculino
Número de Mensagens : 1293
Idade : 48
Cidade/Estado : Recife/PE
Religião : Protestante
Igreja : Assembléia de Deus
País : Brasil
Mensagens Curtidas : 228
Pontos de participação : 3112
Data de inscrição : 25/11/2008

Re: Trindade, Unicismo ou Unitarismo - se eu erradamente crer em um, afeta minha salvação?

Mensagem por Valdomiro em Seg 27 Jul 2009, 22:39

Pereira,

Quanto à, por exemplo, Hb 1.8 “Mas do Filho diz: O teu trono, ó Deus, subsiste pelos séculos dos séculos, e cetro de eqüidade é o cetro do teu reino.” A romanização da fé condicionou os crentes atuais a acharem que sempre que aparece a palavra “Deus”, esta se refira ao Deus Eterno, Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo e por via de conseqüência o próprio Cristo. Isso gerou dificuldades para várias pessoas não só no entendimento de muitas passagens bíblicas, mas, também, a própria rejeição inconsciente da contextualização histórica do uso do termo “deus” dentro da Bíblia. Vale ressaltar que nos originais da Bíblia, seja hebraico, aramaico ou grego não havia distinção capitular nos caracteres, ou seja, todas as letras eram escritas do mesmo tamanho, assim, a tradução para as nossas Bíblias da palavra elohim, por exemplo, por “Deus” ou “deus” ou ainda “deuses” vai depender da compreensão que o tradutor tem de determinada passagem. Para se ter uma idéia o termo “elohim” (deus) aparece mais de 2.500 vezes no Antigo Testamento hebraico, sendo que nada menos que 240 ocorrências não se referem ao Deus Eterno, de modo que seus outros usos não podem ser considerados exceções. Em alguns casos vemos que o termo é aplicado individualmente a falsos deuses pagãos em, pelo menos, 19 ocorrências: A Baal, 5 vezes (Jz 6.31; 1Rs 18.24,25,27; Jz 8.33); a Quemós, 2 vezes (Jz 11.24; 1Rs 11.33); a Milcom, 1 vez (1Rs 11.33); a Dagom, 5 vezes (Jz 16.23,24; 1Sm 5.7); a Baal Zebube, 4 vezes (2Rs 1.2,3,6,16); a Nisroque, 2 vezes (2 Rs 19.37; Is 37.38). Aqui se poderia questionar a legitimidade dessas falsas divindades serem chamadas de “deus” e, de fato, dentro do contexto bíblico, baseado em Gl 4.8, eles não têm legitimidade, mas o uso da palavra aplicada a elas, por si só, já descarta a reivindicação da existência implícita da trindade em “elohim”; uma suposta pluralidade de pessoas na palavra, pois cada uma dessas falsas divindades não são uma trindade por serem chamadas de elohim. Vale ressaltar que tal termo também é aplicado a homens. Quando lemos a palavra “juízes” em nossas Bíblias, por exemplo, em Ex. 21.6 “então seu senhor o levará perante os juízes, e o fará chegar à porta, ou ao umbral da porta, e o seu senhor lhe furará a orelha com uma sovela; e ele o servirá para sempre.” ou Ex. 22.28 “Aos juízes não maldirás, nem amaldiçoarás ao governador do teu povo”, se lêssemos em uma Bíblia hebraica estaríamos lendo “elohim”, ou seja “deus” ou “deuses” ao invés de “juízes”, como ocorre no conhecido Salmo citado por Jesus, Sl. 82.6 “Eu disse: Vós sois deuses (elohim), e filhos do Altíssimo, todos vós”. Devemos relembrar que tal Salmo não é a única ocorrência do termo “deus” aplicado a homem, foi, apenas, traduzido de forma explicita por conta da Septuaginta e do uso referencial que Jesus fez do Salmo. Isso é uma impropriedade? Os homens são, agora, iguais ao Deus Eterno por serem chamados de elohim (deus)? É alguma consubstanciação entre o Eterno Deus e os homens encarregados de julgar o povo hebreu? Note que nesse caso não se verifica um reconhecimento errôneo de algum povo pagão acerca de alguém, nem podemos acusar o escritor sacro de haver registrado alguma ilegitimidade, pois o próprio Yahweh Elohim, ou seus inspirados, foi quem os chamou assim. Para o povo hebreu não seria algo esdrúxulo ou blasfemo um “juiz” ou “rei” de Israel ser chamado de “deus”, pois o são por concessão de quem o pode conceder e não em essência. Aliás, é esse tipo de pensamento contextual judaico que permite um israelita recitar esse salmo sem crise de consciência e sem ver nele contradição alguma com Is. 45.5 “Eu sou o Senhor, e não há outro; fora de mim não há Deus.”

O verso em estudo como se sabe é referência de Sl 45.6-7, e, a esse respeito a Tradução Ecumênica da Bíblia (TEB), elaborada por Católicos e Protestantes, da Editora Loyola, assim comenta o Salmo: “Deus, palavra que por vezes é aplicada a homens (cf. Ex. 4.16), parece aqui designar o rei. Segundo as versões, o v. 7 se dirige a Deus. Contudo, Hb. 1.8-9 o aplica ao Filho. Os modernos muitas vezes têm interpretado 'teu trono é (o) de Deus' (cf. I Cr. 29.23), ou então 'teu trono é (como o de) Deus'”. Perceba que o comentarista trinitário reconhece que o pensamento de atribuição desse verso ao Deus Eterno se dá nas versões, ou seja, não é o texto ou o contexto hebraico, por si só, que força esse entendimento, pelo contrário, se formos ler o texto só olhando para o hebraico o entendimento natural seria “Teu trono é de Deus” ou que a palavra “Deus” ali represente o monarca e não um ente Divino. Isto pode ser constatado também na Bíblia de Jerusalém que traduz o Salmo a partir do hebraico assim: “Teu trono é de Deus, para sempre e eternamente! O cetro do teu reino é cetro de retidão!”, ainda em nota de rodapé na mesma Bíblia se encontra: “O grego traduz: 'Teu trono, ó Deus...', vendo no termo elohim um vocativo qualificando o rei; este título protocolar é de fato aplicado ao Messias (Is.9.5), assim como aos chefes e aos juízes (Ex. 22.6/ Sl. 82.6), a Moisés (Ex. 4.16/ 7.1) e à casa de Davi (Zc. 12.8 ) . ” Aqui da mesma forma os comentaristas trinitários, reconhecem que o termo “elohim” nessa passagem é um “título protocolar”, que pode ser aplicado tanto a governante (chefes) e juízes, ou seja, não é uma atribuição de deidade a quem foi dirigido o Salmo. A Bíblia do Peregrino preferiu traduzir “Teu trono, como o de um Deus.” e parece ter respeitado o sentido bíblico do uso do termo aplicado a monarcas (Zc. 12.8 “e a casa de Davi será como Deus”) e juízes de Israel. E nesse sentido aponta para a dinastia davídica I Cr. 29.23 “Assim Salomão se assentou no trono de Yahweh, como rei em lugar de seu pai Davi, e prosperou; e todo o Israel lhe prestou obediência”.

A promessa do trono eterno, para a casa de Davi, já é vista desde II Sm. 7.12 “Quando teus dias forem completos, e vieres a dormir com teus pais, então farei levantar depois de ti um dentre a tua descendência, que sair das tuas entranhas, e estabelecerei o seu reino. 13 Este edificará uma casa ao meu nome, e eu estabelecerei para sempre o trono do seu reino. 14 Eu lhe serei pai, e ele me será filho. E, se vier a transgredir, castigá-lo-ei com vara de homens, e com açoites de filhos de homens; 15 mas não retirarei dele a minha benignidade como a retirei de Saul, a quem tirei de diante de ti. 16 A tua casa, porém, e o teu reino serão firmados para sempre diante de ti; teu trono será estabelecido para sempre.

Analisando o contexto histórico do Salmo 45.6-7, podemos perceber que, conforme reconhecem os próprios comentarista trinitarianos, trata-se de um salmo dirigido a um monarca de israel, e que profeticamente aponta para Cristo, mas, perceba, o aponta como monarca, conforme o salmo, e não como o Deus Eterno.

O restante do Salmo, normalmente deixado de lado por muitos, dá informações importantes sobre essa realidade. Já no primeiro versículo vemos o escritor falar que dirige seus versos ao Rei, a quem chama de o mais formoso entre os filhos dos homens e que Deus o abençoou. Se diz, também, que esse rei foi escolhido dentre outros companheiros; o verso 9 diz que aquele que foi chamado de “Deus” tem donzelas a sua disposição e já tem uma rainha, inclusive uma filha, e filhos que ficaram no lugar de seus pais. Então, ao invés de imaginarmos o Salmo 45.6 como um versículo isolado, como se este fosse um adendo no texto bíblico que foi usado em Hebreus, precisamos vê-lo como parte de um maravilhoso contexto, não somente do restante do próprio Salmo, mas de toda a Bíblia e entendê-lo como todo aquele que se preocupa em ler a Bíblia por completo entenderia; que a palavra “Deus” no verso 6 não é atribuição de deidade, mas reconhecimento de poderio e da origem do trono daquele monarca e nesse sentido, com caráter profético, aplicado em Hebreus.

Se só lermos Hb.1.8, isoladamente, buscando uma solução trinitária, deveríamos antes parar para meditar: Se o texto diz que Deus, o Deus de “Deus”, o ungiu, não só teríamos um subordinacionismo ontológico, que é rejeitado pelos trinitarianos por negar a co-igualdade entre as hipóstases, como também “Deus” fora de Deus, cuja possibilidade é negada em Is. 44.6. Ou seja, um Deus ungindo um outro co-igual é algo não permitido e nem ensinado na Bíblia. Os versos não dizem que Deus está se auto-ungindo(?). Portanto se o texto se referir a primeira ocorrência da palavra Deus como Deidade absoluta, temos, por via de conseqüência dois “Deus(es)”; o ungido e o que unge. Agora, se o entendemos como um texto que foi dirigido, como o próprio nome da epístola diz, aos HEBREUS, e nos lembrarmos que eles estavam familiarizados com os usos do termo “Deus” (Elohim) nas escrituras Hebraicas e o lia agora em grego, então, tudo se harmoniza, pois como regente da casa de Davi, Jesus, o Filho de Deus, assentará no trono eterno de Yahweh como o fez Salomão; será juiz (Cetro de Eqüidade), como o foram Jafté e muitos outros, e por conseqüência “Elohim” (Deus), mas não no mesmo sentido que seu Pai é. Os hebreus não entranhavam quando alguém era chamado de “Elohim” (Deus) quando o contexto nitidamente apontava para aquele que fora designado pelo Eterno e tinha o poder de reger e julgar o povo escolhido. Os fariseus ilegitimamente censuraram Jesus porque não o reconheciam como Regente da parte de Deus. Assim Hb. 1.8, longe de atribuir deidade a Cristo, o reconhece, nos moldes Bíblicos, como Governante:. O Messias que como rei regeria o seu povo.

Shalom!
Valdomiro.
avatar
Valdomiro
ADMINISTRADOR (auxiliar)
ADMINISTRADOR (auxiliar)

Status : no perfil, defina seu status ou deixe em branco.
Sexo : Masculino
Número de Mensagens : 1293
Idade : 48
Cidade/Estado : Recife/PE
Religião : Protestante
Igreja : Assembléia de Deus
País : Brasil
Mensagens Curtidas : 228
Pontos de participação : 3112
Data de inscrição : 25/11/2008

Re: Trindade, Unicismo ou Unitarismo - se eu erradamente crer em um, afeta minha salvação?

Mensagem por Valdomiro em Seg 27 Jul 2009, 22:52

Hermínio é sempre uma alegria lê-lo.

Apenas para registrar que sua opinião é respeita e levada em conta gostaria de citar At. 5.31 "Deus com a sua destra o elevou a Príncipe e Salvador, para dar a Israel o arrependimento e a remissão dos pecados.", por isso se diz em At. 4.12 " E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, DADO entre os homens, pelo qual devamos ser salvos."

Jesus não é um Salvador fora de Deus, porque foi Deus quem o constituiu Salvador, por isso também se diz em Hb. 7.25 "Portanto, pode também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus". Ele é o caminho para se chegar a Deus e não o próprio.


Fique com a Paz de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo!

Grande abraço!
Valdomiro.

Conteúdo patrocinado

Re: Trindade, Unicismo ou Unitarismo - se eu erradamente crer em um, afeta minha salvação?

Mensagem por Conteúdo patrocinado


    Data/hora atual: Seg 21 Ago 2017, 22:23