F.E. A Doutrina de Jesus Cristo.

--------------------------------------
OLÁ, SEJA BEM VINDO AO FÓRUM EVANGELHO.

CASO DESEJE PARTICIPAR DE DEBATES FAÇA SEU REGISTRO.

ESTE FÓRUM É ABERTO A PESSOAS DE TODOS OS CREDOS.

SE PREFERIR SER APENAS UM LEITOR, ACOMPANHE AS POSTAGENS.

"Conheçamos e prossigamos em conhecer a YHVH ( י ה ו ה )..." (Oséias 6.3)

Norberto
Administrador do Fórum Evangelho

Fórum evangélico, aberto à participação de pessoas de qualquer credo ou religião.


Pedro, o primeiro Papa, autoridade na Igreja Primitiva.

Compartilhe
avatar
Betho
- Áqüila / Priscila -
- Áqüila / Priscila -

Status : Holístico!
Sexo : Masculino
Número de Mensagens : 1066
Idade : 44
Cidade/Estado : BRAZIL
Religião : Tg 1;27
Igreja : Mt 18;20
País : Brasil
Mensagens Curtidas : 33
Pontos de participação : 2763
Data de inscrição : 25/04/2015

Pedro, o primeiro Papa, autoridade na Igreja Primitiva.

Mensagem por Betho em Ter 30 Maio 2017, 20:57

Papista escreveu:A Epístola aos Gálatas é considerada destaque e primaz entre os escritos do Apóstolo Paulo e tem uma coloração ímpar e exclusiva da personalidade de Paulo. Nela, o Apóstolo Paulo revela toda a sua autoridade, alguns fundamentos da fé cristã e ainda a sua dureza contra o Judaizantes que questionam a autoridade dele.

Do Paulo, Apóstolo (não da parte dos homens, nem por ação humana, mas por Jesus Cristo e por Deus Pai, que o ressuscitou dentre os mortos) (Gal 1:1 [NET])

Percebemos assim que o conteúdo da carta será apenas direcionada em apostolado, autoridade e judaizar. Aqui ele começa a reivindicar a autoridade dele.

E quando Tiago, Cefas e João, que tinha uma reputação como pilares, reconheceram a graça que tinha sido dado a mim, deram-nos a Barnabé e a mim, a mão direita de companheirismo, concordando que iríamos para os gentios, e eles à circuncisão. (Gal 2:9 [NET])

Portanto, dada a situação da Carta e o motivo de sua escrita. Paulo, em síntese, quer apresentar-se como autoridade concedida pelo próprio Jesus. Os apóstolos antes dele, foram consultados, tanto quanto possível. Ele conheceu Pedro, procurou outro, mas só viu Tiago. Em seguida, voltou para Jerusalém novamente e conheceu João, além dos outros antes.


Depois, passados três anos, fui a Jerusalém para ver a Pedro e fiquei com ele quinze dias.  (Gal 1: 18 [NET])

Durante todos esses encontros e, desta vez, não se opõem a ele, pelo contrário, deram-lhe a mão.

Agora eu quero que você saiba, irmãos e irmãs, que o evangelho por mim anunciado não é de origem humana. Porque eu não recebê-lo ou aprendê-lo a partir de qualquer fonte humana; em vez disso, recebi por revelação de Jesus Cristo. (Gal 1: 11-12 [NET])

A frase "ἀποκάλυψις Ἰησοῦς Χριστός" (revelação de Jesus Cristo) define o evangelho pregado aos Gálatas! Esta frase é citada pelo Apóstolo Pedro em 1:12-13 para confirmar o Evangelho revelado a Paulo e pregado aos Gálatas, também, confirmando as palavras do Apóstolo Paulo em Gálatas 2:9, no qual Pedro autorizou.

Foram mostrados que eles não estavam servindo-se mas, no que diz respeito às coisas agora anunciadas por aqueles que proclamaram o evangelho a vós pelo Espírito Santo enviado do céu - As coisas, as quais os anjos, há muito tempo desejam ter um vislumbre. Portanto, pegar o seu espírito pronto para a ação por estar totalmente sóbrio, e definir a sua esperança na graça que será trazida para vocês, quando Jesus Cristo for revelado. (1 Pe 1: 12-13 [NET])

Esta frase "ἀποκάλυψις Ἰησοῦς Χριστός", traduzida em português por "revelação de Jesus Cristo" tornou-se tão famosa entre os Apóstolos, que é usada para confirmar a Autoridade do Livro de  Apocalipse.

A revelação de Jesus Cristo, que Deus lhe deu para mostrar aos seus servos, o que deve acontecer muito em breve. Ele deixou claro, enviando seu anjo ao seu servo João. (Ap 1: 1 [NET])

Portanto, o Apóstolo Pedro autoriza o Evangelho que foi revelado do céu e pregado por Paulo aos Gálatas, além disso, o Apóstolo Pedro adverte na segunda carta aqueles que distorciam o evangelho autorizado. 2 Ped 3:15-16

1) Agora, clara é de entendimento a frase do Apóstolo Paulo: "o meu evangelho", um evangelho recebido por revelação dos céus, autorizado pelos Apóstolos, diferentemente dos que receberam ouvindo diretamente do Senhor Jesus no ministério terreno. O Apóstolo Paulo pediu autorização a Pedro para pregar o Evangelho que ele recebeu e que já estava pregando. Paulo, por ter sido distante destes, com a primeira aproximação, coloca o nome de Pedro em segundo lugar somente em Gálatas, em toda a Bíblia, o que passa a ser compreendido agora, como centro de poder na Igreja primitiva.

2) A distância de tempo entre Gálatas 1 e 2 NÃO pode ser ignorada. Devemos observar que o Apóstolo Paulo, depois de três anos pregação aos Gentios, foi a Jerusalém exclusivamente para ver Pedro. Gálatas 1:18, ficando com ele quinze dias. Já no Capítulo 2, passados catorze anos após o fato de Gálatas 1:18, Paulo subiu outra vez a Jerusalém com Barnabé, levando também consigo a Tito, devido a uma revelação para expor o evangelho que pregava entre os gentios e aos convertidos para que de maneira alguma não corresse ou não tivesse corrido em vão.  É neste contexto que lemos Gálatas 2:9: E quando Tiago, Cefas e João, que tinha uma reputação como pilares, reconheceram a graça que tinha sido dado a mim, deram-nos a Barnabé e a mim, a mão direita de companheirismo, concordando que iríamos para os gentios, e eles à circuncisão.  Recomendando-nos somente que nos lembrássemos dos pobres, o que também procurei fazer com diligência. (Gal 2:9-10 [NET]) Quando Pedro chega à Antioquia em Gálatas 2:11 e é resistido, já é outro contexto e nada tem haver com o artigo do tópico.

2) O verso em Atos 15:7, nos informa que Pedro foi eleito entre outros Apóstolos para que os gentios ouvissem pela boca dele, o Evangelho.  "E, havendo grande contenda, levantou-se Pedro e disse-lhes: Homens irmãos, bem sabeis que já há muito tempo Deus me elegeu dentre nós, para que os gentios ouvissem da minha boca a palavra do evangelho, e cressem." Atos 15:7  Já em Galátas 2:7, Paulo dá testemunho de que o Evangelho da circuncisão está confiado ao Apóstolo Pedro. Concluímos, pois é evidente, que o Apostolado confiado a  Pedro, realmente tem a autoridade soberana entre os outros apóstolos do ministério do Senhor Jesus. Qual a postura do Apóstolo Pedro entre os outros Apóstolos? E aconteceu que, entrando Pedro, saiu Cornélio a recebê-lo, e, prostrando-se a seus pés o adorou. Mas Pedro o levantou, dizendo: Levanta-te, que eu também sou homem. E, falando com ele, entrou, e achou muitos que ali se haviam ajuntado. E disse-lhes: Vós bem sabeis que não é lícito a um homem judeu ajuntar-se ou chegar-se a estrangeiros; mas Deus mostrou-me que a nenhum homem chame comum ou imundo. Atos 10:25-28 Vós bem sabeis que não é lícito a um homem judeu ajuntar-se ou chegar-se a estrangeiros Por quais motivos o Apóstolo Pedro expressou a frase anterior? Qual lei no Antigo Testamento, regula a atitude dele com os gentios? Eu não sei, mas é evidente que diante de tal conduta, se fazia necessário circuncidar os gentios convertidos  em Israel.

3) Para conhecer/reconhecer a graça que havia sido dada a Paulo, para dar as detras (acordo), em comunhão para com Paulo e Barnabé. Para dar outra recomendação, aos pobres. Se fazia necessário, duas ou mais testemunhas diante da Igreja, por isso: Tiago, Cefas e João. Tal, acordo nada vai de encontro a soberania do Apóstolo Pedro entre os grupo daqueles constituídos sobre o ministério do Senhor Jesus, seria estranho se: 1) Cefas, não estivesse presente na primazia. 2) Cefas estivesse em terceiro lugar, pois estando no meio dos dois apóstolos, preserva-se a centralidade e soberania do Apóstolo Pedro entre o trio.

4) O testemunho mais importante a respeito é dado pelo próprio Apóstolo Paulo: Antes, pelo contrário, quando viram que o evangelho da incircuncisão me estava confiado, como a Pedro o da circuncisão. Galatas 2:7 Ora, o próprio Apóstolo Paulo dá testemunho que o Evangelho foi confiado pelo Senhor Jesus primeiramente ao Apóstolo Pedro e não aos grupo dos apóstolos, sendo que o Apóstolo Pedro também foi preparado para pregar aos gentios-incircuncisão (Atos 10) e para  reconhecer, autorizar e concordar com o evangelho recebido dos céus pelo Apóstolo Paulo (Galátas 2:9). Portanto, não há como negar tão grande testemunho.

5) "...que eram considerados como as colunas..." Eram considerados por quem? a) Jesus? Não. O contexto bíblico é a favor exclusivamente do Apóstolo Pedro, não há necessidade de se explicar novamente isto, tamanho material farto e acessível. b) Pelo grupo dos apóstolos constituídos pelo Senhor Jesus e pela igreja da circuncisão? Não, por derivação da prática vivida junto ao Apóstolo Pedro. c) Para o Apóstolo Paulo e para a igreja dos incircuncisos? Plenamente aceitável no aspecto contextual. Portanto, também não é um argumento contra a soberania do Apóstolo Pedro entre os grupo daqueles constituídos sobre o ministério do Senhor Jesus. Consultei o texto grego, o qual diz: "...Tiago e Cefas e João, os quais parecendo colunas..." Portanto, nítido está sendo a impressão do Apóstolo Paulo sobre os três Apóstolos supracitados. Observe o entendimento do Apóstolo Paulo: (2 Cor 13:1) É ESTA a terceira vez que vou ter convosco. Por boca de duas ou três testemunhas será confirmada toda a palavra. (1Tm 5:19) Não aceites acusação contra o presbítero, senão com duas ou três testemunhas. (Heb 10:28) Quebrantando alguém a lei de Moisés, morre sem misericórdia, só pela palavra de duas ou três testemunhas. Concluímos que para o Apóstolo Paulo, se fazia necessário ter mais dois Apóstolos, além do soberano Apóstolo Pedro que ficou centralizado no verso.

6) Em Mateus 16:18, Pedro é o alicerce, elevado sobre Jesus. Qualquer outro Apóstolo estava fundamentado em Pedro. Vejamos: Mas, quando vi que não andavam bem e direitamente conforme a verdade do evangelho, disse a Pedro na presença de todos: Se tu, sendo judeu, vives como os gentios, e não como judeu, por que obrigas os gentios a viverem como judeus? Gálatas 2:14 Deve-se observar o desconforto do Apóstolo Paulo, a ponto de ter que: 1) Esperar para visualizar o fato, julgá-lo como erro. 2) Somente na presença de todos, de inúmeras testemunhas e não particularmente a Pedro, para que esta grande maioria não se opusesse a Verdade, tão pouco pudesse o Apóstolo Pedro dar-se a não aceitar a Verdade, referente aos gentios, também jurisdição do Apóstolo Paulo. 3) Paulo relata a tão grande autoridade do Apóstolo Pedro:  ...que obrigava aos gentios... Então, o que diz o texto de Mateus 18:15-20? Senão apenas cumprimento do texto de Mateus 16:18, pois, dois capítulos depois, a Assembleia já estava em construção sobre Jesus, com Pedro como alicerce, conforme Artigo.

7)  A Teologia Paulina não é superior a Teologia de Jesus Cristo, pensar de forma contrária, é um grande erro, além disso, observa-se que o Apóstolo  Paulo estava em limitação a ponto de que, por uma revelação, ter que ir a Jerusalém, para expor e passar o Evangelho dele pelo crivo dos Apóstolos Gal 2:2.  - O Edifício como figura de linguagem, citado pelo Apóstolo Paulo em Efésios, também está sendo explanado em todo o Capítulo de 1 Pedro 2, cartas da mesma época, segundo especialista em cronologia bíblica, sendo totalmente diferente de aplicação, os quais referem-se a οἰκοδομὴ-G3619, a edificação de Efésios 2:21, enquanto comparado a citada edificação οἰκοδομήσω da Assembleia ἐκκλησίαν-G1577 em Mateus 16:18. Dicionário Strong's - G3619 escreveu: οικοδομη / οἰκοδομή oikodome oikodome (oi-co-do-me) s. arquitetura (concretamente) uma estrutura (figurativamente) a confirmação [feminino (abstrato) de um composto de 'oikos (G3624)' e a base de 'doma (G1430)'] Raízes: 'oikos (G3624)' e 'doma (G1430)' - construção, edificar(-ação) Em ómicron Dicionário Strong's - G1577 escreveu: εκκλησια / ἐκκλησία ekklesia ekklesia (e-cle-sí-a)
s.  (propriamente) a "chamada" (concretamente) a chamada assembleia de cidadãos (especificamente, de Cristo), a comunidade dos redimidos de Cristo na Terra ou no céu, ou ambos {usado somente para pessoas, não de uma localização, estrutura, etc de Cristo, usado somente para o redimido, não para os não redimidos que estejam no meio} [Uma composição de 'ek (G1537), "fora"', e um derivado de 'kaleo (G2564), "chamado"']
Raízes: 'ek (G1537), "fora"', 'kaleo (G2564), "chamado"' Comparar: 'sunagoge (G4864)' Ver também: 'kletos (G2822)'

8 ) Observe o dito de Paulo: Fui para lá por causa de uma revelação e expus diante deles o evangelho que prego entre os gentios, fazendo-o, porém, em particular aos que pareciam mais influentes, para não correr ou ter corrido em vão. Gálatas 2:2 Pois, bem, até então, Paulo está em busca dos mais influentes para que o trabalho dele, não seja perdido, e o que ele descobre? Pelo contrário, reconheceram que a mim havia sido confiada a pregação do evangelho aos incircuncisos, assim como a Pedro, aos circuncisos. Gálatas 2:7 Havia sido confiada a pregação do evangelho ao Apóstolo Pedro! Estando este também, PRIMEIRAMENTE, orientado de que os gentios iriam ser convertidos ao Evangelho. A pregação do Evangelho é exclusividade do Apóstolo Pedro. Paulo, ainda que pregando distante dos Apóstolos, por revelação, teve que ir de encontro a eles, para que não tivesse o trabalho perdido. Está claro, evidente e conciso.  Estar no meio, no centro, é um lugar de destaque na Bíblia, é visto em qualquer busca contextual simples na Bíblia.

9) O Sínodo de Jerusalém em Atos 15. Atos 15:7 E, havendo grande contenda, levantou-se Pedro e disse-lhes: Atos 15:13-14 E, havendo-se eles (paulo e Barnabé) calado, tomou Tiago a palavra, dizendo: Homens irmãos, ouvi-me: Simão relatou como primeiramente Deus visitou os gentios Atos 15:13,14 Pedro, é autoridade máxima em Jerusalém, pois diante da enorme contenda entre todos, ele se levanta entre eles e sem empecilhos, começa a dizer as revelações de Deus. Já, Tiago, só começa o discurso dele após o silêncio de Paulo e Barnabé, além disso, é dito a expressão que ele "tomou" a Palavra, que em Grego é um ato que refere-se a um discurso já em desfecho e ainda, solicita aos irmãos que seja ouvido, talvez por causa da idade dele, e quando começa a falar, em vez da opinião dele, invoca a autoridade e rememora a opinião do principal Apóstolo: Simão relatou...    
Assim, fica evidente a fragilidade de Tiago diante da Soberania do Apóstolo Pedro. Será aberto um novo tópico, em qual, prova-se que este Tiago, em Atos 15, é um apóstolo entre os doze. Filhos da Minha Mãe

10) A exclusividade no sentido de ter sido o Apóstolo Pedro, o primaz em sentido etimológico, restrito  a receber as chaves do Reino dos Céus. Observamos o testemunho de Eusébio em História Eclesiástica, Livro II Cap I, verso 4. Porém, ele ainda em a sétima hipótese dele e estas coisas a respeito dele está dizendo: Após a ressurreição dos mortos, o Senhor entregou (proferiu) a gnose (conhecimento) aos Tiago, o chamado “o Justo”, João e a Pedro, estes aos apóstolos restantes os entregaram, já os apóstolos restantes ao setenta está sendo para dentro e Barnabé estava sendo. É evidente que, entre os três, Tiago, João e Pedro, temos o grande testemunho contextual de que Pedro, era o Soberano.
.
11) Entenda como as coisas funcionavam: 1)  Na época dos Judeus. 1a) O império Romano autorizava o culto oficial. O Judaísmo, ainda que contendo diversos segmentos. 1b) A religião judaica, na sua totalidade de líderes, recharcha a pregação no nome de Jesus. 1c) Saulo, pede cartas aos líderes judaicos para desoficializar esta nova "seita" da liberdade moderada dada pelo Império Romano às suas colônias, indo a outro país, Damasco, para prender e senão, matar, o que é impossível que seja feita exclusivamente na autoridade judaica, por isso a presença de Saulo, Judeu, mas não somente, por nascença, cidadão Romano, portanto também, militar. Desta forma, aconteciam as coisas: Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no reino dos céus. Ouvistes que foi dito aos antigos: Não matarás; mas qualquer que matar será réu de juízo. Eu, porém, vos digo que qualquer que, sem motivo, se encolerizar contra seu irmão, será réu de juízo; e qualquer que disser a seu irmão: Raca, será réu do sinédrio; e qualquer que lhe disser: Louco, será réu do fogo do inferno. Portanto, se trouxeres a tua oferta ao altar, e aí te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, Deixa ali diante do altar a tua oferta, e vai reconciliar-te primeiro com teu irmão e, depois, vem e apresenta a tua oferta. Concilia-te depressa com o teu adversário, enquanto estás no caminho com ele, para que não aconteça que o adversário te entregue ao juiz, e o juiz te entregue ao oficial, e te encerrem na prisão. Em verdade te digo que de maneira nenhuma sairás dali enquanto não pagares o último ceitil. Mateus 5:20-26 O texto é claro quanto a frase "... tem alguma coisa contra ti..." Não é especificamente, somente uma dívida financeira, é qualquer "coisa" que possa ser usada contra aquele que estava junto no Caminho com aquele que se sentiu ofendido por este. Portanto o supliciado, deve estar consciente de que está sofrendo o martírio por amor a Verdade, enquanto desagradando aqueles que estão junto ao Caminho e estão autorizados pelo Estado. Observe o que Pilatos disse:  E entrou outra vez na audiência, e disse a Jesus: De onde és tu? Mas Jesus não lhe deu resposta. Disse-lhe, pois, Pilatos: Não me falas a mim? Não sabes tu que tenho poder para te crucificar e tenho poder para te soltar? Respondeu Jesus: Nenhum poder terias contra mim, se de cima não te fosse dado; mas aquele que me entregou a ti maior pecado tem. Desde então Pilatos procurava soltá-lo; mas os judeus clamavam, dizendo: Se soltas este, não és amigo de César; qualquer que se faz rei é contra César. João 19:9-12. O acontecido com Estevão: Vós, que recebestes a lei por ordenação dos anjos, e não a guardastes. E, ouvindo eles isto, enfureciam-se em seus corações, e rangiam os dentes contra ele. Mas ele, estando cheio do Espírito Santo, fixando os olhos no céu, viu a glória de Deus, e Jesus, que estava à direita de Deus; E disse: Eis que vejo os céus abertos, e o Filho do homem, que está em pé à mão direita de Deus. Mas eles gritaram com grande voz, taparam os seus ouvidos, e arremeteram unânimes contra ele. E, expulsando-o da cidade, o apedrejavam. E as testemunhas depuseram as suas capas aos pés de um jovem chamado Saulo. E apedrejaram a Estêvão que em invocação dizia: Senhor Jesus, recebe o meu espírito. E, pondo-se de joelhos, clamou com grande voz: Senhor, não lhes imputes este pecado. E, tendo dito isto, adormeceu. Atos 7:53-60 Observamos que havia a presença de testemunhas e entendemos que suportaram a ousadíssima e dolorosa pregação de Estevão até a frase: "... e o Filho do homem, que está em pé à mão direita de Deus..." Como se deu o acontecido com Estevão? E crescia a palavra de Deus, e em Jerusalém se multiplicava muito o número dos discípulos, e grande parte dos sacerdotes obedecia à fé. E Estêvão, cheio de fé e de poder, fazia prodígios e grandes sinais entre o povo.  E levantaram-se alguns que eram da sinagoga chamada dos libertinos, e dos cireneus e dos alexandrinos, e dos que eram da Cilícia e da Asia, e disputavam com Estêvão. E não podiam resistir à sabedoria, e ao Espírito com que falava. Então subornaram uns homens, para que dissessem: Ouvimos-lhe proferir palavras blasfemas contra Moisés e contra Deus. E excitaram o povo, os anciãos e os escribas; e, investindo contra ele, o arrebataram e o levaram ao conselho. Atos 6:7-12 No contexto, observamos que levantaram-se alguns e injustamente, estes poucos, caracterizados por "os de fora", porém, sendo autorizados a prestar culto dentro da Religião Judaica, e portanto, dentro da benevolência do Império Romano para com as colonias dele, é que iniciam o processo no Conselho. Portanto, sabendo que da própria conduta e da necessidade honrosa dela, Estevão dá uma passo a mais, sabendo que até então, estava consciente do resguardo da própria vida:  "...Eis que vejo os céus abertos, e o Filho do homem, que está em pé à mão direita de Deus..." Este análogo, acontece até os dias de hoje. Desta mesma forma, aquele não autorizado pelo Estado, pode ser levado por qualquer um ao Conselho, EM UMA CONDIÇÃO DE DESAMPARO, e do Juiz ao Oficial, e do Oficial a prisão e ao martírio, como tem acontecido, VERDADEIRAMENTE, em vários lugares do mundo.
.
12) Aos presbíteros, que estão entre vós, admoesto eu, que sou também presbítero com eles, e testemunha das aflições de Cristo, e participante da glória que se há de revelar: Apascentai o rebanho de Deus, que está entre vós, tendo cuidado dele, não por força, mas voluntariamente; nem por torpe ganância, mas de ânimo pronto; 1 Pedro 5:1 Apóstolo Pedro, no contexto, escreve com humildade, colocando-se juntamente na mesma posição dos presbíteros daquelas regiões, ainda que não estivesse, para que o Rebanho de Deus, seja cuidado, não por força, mas voluntariamente; nem por torpe ganância, mas de ânimo pronto.

13)  Não deve-se confundir a Assembleia constituída e o Governo dela caracterizado com a Casa Espiritual. 1 Pedro 2:4-7, Atos 10:26

14) Resumo: Apóstolo Paulo, após três anos de pregação entre os gentios, procura o Apóstolo Pedro em Jerusalém, depois de quatorze anos, devido a uma revelação, Paulo retorna a Jerusalém, o evangelho dele, o revelado do céu, é reconhecido por mais de duas testemunhas entre os Apóstolos, incluindo o Apóstolo Pedro, além de outras orientações, o que Paulo procurou fazer com diligência para que o trabalho dele, ATÉ ENTÃO, distante do crivo dos Apóstolos, NÃO fosse perdido.  Depois de três anos, subi a Jerusalém para conhecer Pedro pessoalmente, e estive com ele quinze dias. Gálatas 1:18. A proeminência de Tiago é tão irrelevante, que ao meno foi chamado de apóstolo, antes, caracterizado como irmão do Senhor. Apóstolo Paulo foi exclusivamente para conhecer o chefe da Igreja. Apóstolo Pedro. Fato. Em Gálatas 2:9,  Tiago, Cefas e João, considerado as colunas da igreja, 1) Reconheceram a graça que havia sido dada a Paulo, 2) Deram a Barnabé e a Paulo, a mão direita de companheirismo, o que significa autorização com 3) uma recomendação.
Paz.

    Data/hora atual: Sab 21 Out 2017, 06:31